Blogando com Alma... Ainda.

Pornografia da Produtividade

Há alguns dias estive conversando com a Lu Monte sobre o vício (que já tive) de experimentar e testar ferramentas, métodos e apps de produtividade em busca do Santo Graal: a ferramenta ou sistema que magicamente vai nos tornar super produtivos e organizados.

Pornografia da Produtividade

Brincando de Ser Produtivo

Ontem ela me mandou um excelente texto sobre isso: How to Stop Fiddling With Productivity Tools To Get More Done (Como parar de “brincar” com ferramentas de produtividade e produzir mais). Recomendo a leitura, mas destaco aqui dois trechos que creio que resumem bem o texto:

Esta é a razão pela qual nós, fanáticos por produtividade, ficamos obcecados com ferramentas e “brincamos” com elas ao invés de trabalhar e ser produtivos com o que temos. Esquecemos facilmente que não é a ferramenta que nos torna produtivos.

Quando esquecemos disso, começamos a testar e experimentar e modificar a ferramenta para preencher as necessidades que achamos que temos. Quando ela não se encaixa nessas supostas necessidades acreditamos que a ferramenta não é suficientemente boa e começamos a procurar alguma coisa “melhor”.

É um círculo infinito de pornografia da produtividade que nos leva rapidamente a lugar nenhum.

Por que Pornografia da Produtividade?

Porque é algo que é feito primariamente por prazer. Eu sei bem o “rush” de adrenalina e excitação que causa encontrar um nova ferramenta ou sistema de produtividade que parece per-fei-to. “Agora sim, vou conseguir me organizar e produzir mais!” E quanto mais funcionalidades a ferramenta tem, melhor ela deve ser, certo?

Errado. Isso não é necessariamente verdade. Pelo seguinte (retirado do mesmo texto – grifos meus):

Você se organiza. Você se torna mais produtivo. Uma ferramenta não faz com que você seja mais produtivo ou organizado. Uma ferramenta não cria produtividade. Um conjunto de ferramentas aumenta e reforça sua produtividade.

Eu já testei horrores de ferramentas e sistemas de produtividade e organização. Já tive esse vício. E sei que ele é, por estranho que pareça, contraproducente. Ficar eternamente testando e experimentado e configurando ferramentas de produtividade é perda de tempo.

E pode chegar a ser uma perda de tempo eterna, pois sempre aparecem coisas novas e “melhores”.

Como eu disse no post dos sapatos, nenhum sistema funciona se nós não o fazemos funcionar. O problema geralmente está no dispositivo que fica entra a cadeira e o teclado. 😛

O texto sugere sete passos para acabar com o vício na pornografia da produtividade. Se você sofre desse mal, experimente. Você só tem tempo a ganhar. 😉

A Minha Ferramenta Mágica de Produtividade

De certa forma, eu segui o primeiro conselho listado no texto do Lifehack: voltar ao básico, simples. Não ao papel – embora eu use um pouquinho de papel.

Encontrei uma ferramenta digital que cobre praticamente todas as minhas necessidades de organização (e outras coisas), o que automaticamente me tornou mais produtiva.

É uma ferramenta extremamente simples: um wiki.

Você pode rir ou torcer o nariz. Eu tive birra de wikis por muito, muito tempo. Até que instalei um wiki pessoal no meu PC, e minha vida se tornou infinitamente mais organizada e produtiva. E nunca mais senti vontade de testar outra ferramenta.

Semana que vem eu conto como. 🙂

Image: Andrea Rinaldi – CC

Nospheratt, pensando na vida

Nospheratt

Quando eu cheguei (2006 - primeira era jurássica da Efigênia), isso aqui tudo ainda era mato.

Previous

Compfight – Encontre as Melhores Imagens Para o Seu Blog

Next

Como Evitar Que Suas Imagens Invadam a Sidebar

11 Comments

  1. Nosphe, pra mim, hoje em dia, a melhor maneira de ser produtivo é fechar o Twitter e ter sempre a mão uma agenda de papel mesmo. Muitas ideias de blogs novos, de posts e até os planejamentos da semana eu faço quando não estou no computador… Chegar nele com tudo esquematizado tem me poupado tempo, otimizado meus ganhos e, pricipalmente, me livrado de “questiúnculas de velhas fofoqueiras das redes sociais”.

    P.s.: “velhas fofoqueiras” é um termo genérico que, de forma nenhuma, se refere apenas ao sexo feminino.

    • Voce tem toda razão. Se eu conseguisse ficar longe do PC, faria o mesmo. Como trabalho nele, estou o dia todo aqui. Mas tenho fechado o Twitter, e isso só já ajuda horrores.

      E chegar na hora de escrever com tudo esquematizado é outra coisa útil que eu também faço – só que no wiki. 🙂

      Sobre “as velhas fofoqueiras”, eu tenho por princípio ficar sempre longe delas, estando no Twitter ou não. 😉

  2. Pois até que enfim ouvi uma confissão que me deixou muito feliz, ainda mais vindo de alguém que atua na blogosfera como Você. Eu ficava com vergonha, aqui, escondidinho atrás da minha tela, quando lia artigos de respeitados blogueiros indicando carquilhões de ferramentas de produtividade. E alguns ainda dizem: ‘usar papel é coisa do passado. Abra um bloco de notas ou agenda, e faça tudo no PC. Você não pode mais voltar atrás e usar papel’. E isto me aterrorizava.
    Afinal, ainda uso as ferramentas mais simples que encontro e também a caneta e papel (na verdade uso lápis). E elas são suficientes se Você é produtivo, como bem diz o texto que Você citou. Ou seja, ter uma Ferrari não me torna um piloto. Mas um piloto dirige muito bem um fusca e vai aonde necessitar ir.
    E sobre: “E quanto mais funcionalidades a ferramenta tem, melhor ela deve ser..” tenho saudades dos telefones que tinham o teclado para fazer a ligação ou atendê-la. Agora são tantas funcionalidades, mas tantas, que chegam a atrapalhar.
    Sobre twitter, com todo o respeito não sei no que ajuda. Há mais de mês que não acesso e não me sinto fora de sintonia. Uma infinidade de links encurtados que escondem a que vêm e nunca me levam a coisas úteis.
    Buenas, isto então. Grato por me dizer que não estou fora da casinha.
    Abraços

    • “Ter uma Ferrari não me torna um piloto. Mas um piloto dirige muito bem um fusca e vai aonde necessitar ir.” <= EXATO!! É exatamente isso. 🙂

      Sobre Twitter, ele é útil para muita coisa, se você o usa para coisas úteis. Divulgar posts, pedir opiniões e dicas e interagir mais diretamente com os leitores são algumas dessas coisas. Para mim, no entanto, o mais importante é a companhia – eu trabalho em casa, estou sozinha o dia todo, e o Twitter me permite "tomar um café" com amigos e leitores. 🙂

      Mas não creio que seja imprescindível usar o Twitter. Depende do que cada um quer. 🙂

  3. Por incrível que possa parecer, sua postagem me ajudou bastante no meu ramo, mesmo sendo infinitamente diferente do seu. Meu blog fala de tear manual, arte manual, tecelagem. Como você pode ver são assuntos diferentes, quase antagônicos. No entanto eu fico meio perdida investigando e procurando formas de melhorar meu trabalho de tecelã, busco novos equipamentos, novas técnicas e no final percebo que perdi um tempo precioso nessa busca, quando deveria tê-lo usado para produzir meu trabalho no equipamento que já tenho e da forma que já conheço. Percebe a semelhança com seu assunto?
    Bjs

    • Percebo sim, e acho que a gente se depara com esse tipo de “pornografia” em qualquer coisa que seja do nosso interesse. 🙂

  4. Aguardando sobre o Wiki: “Semana que vem eu conto como”.
    Concordo sobre o Twitter, que poemos usá-lo de forma útil, produtiva e divertida. O que eu tentei colocar foi o fato de que url’s encurtadas escondem o destino, ou o que nos aguarda nele. E assim não se pode avaliar se vale a pena a não ser clicando no link. E na maioria das vezes….
    Abraços

    • Amanhã sai o próximo texto sobre wiki. Sobre urls encurtadas, depende do que você usa para acessar o twitter. O Hootsuite, que é o cliente que uso, tem um botão ao lado dos links que mostra o link desencurtado. Há outros que fazem isso também. 🙂

  5. Nospherat,

    bom ter você de volta! E sobre zilhões de ferramentas eu andava desconfiada que algo não ia bem em meus blogs e este post é a gota d’água da certeza.

    Além do tempo que perdi procurando, instalando e depois tentando entender para depois descobrir que não surtiu efeito, isso quando não bagunçou tudo… nem gosto de pensar. comecei lentamente a retirar plugins e limpar, mas o caminho é longo.

    Preciso me organizar e não me adaptei com o evernote. Espero seu post sobre o Wiki.

    beijocas, raquel

    PS: Outra coisa que preciso arrumar é meu gmail… Que tal um post sobre esse assunto?

    • 🙂 Realmente, os plugins são uma tentação, existem milhões e se bobear, perdemos muito tempo com eles mesmo. Eu uso um set básico, só plugins necessários; e para acrescentar algum, só se houver necessidade. Isso também evita muitos problemas quando há atualizações do wp.

      Sobre o Evernote, desde que comecei a usar wiki, só uso ele pra guardar coisas que não sei quando nem como vou usar. Tipo recorte de revista, sabe? Um repositório de informação. O resto vai tudo pro wiki mesmo. 🙂

    • Ah, esqueci de falar sobre o Gmail. Tenho um rascunho sobre isso há tempos (estava perdido no Evernote :P), assim que puder vou terminar de escrever e publicar. 🙂

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén|Social Icons by Freepik