Blogando com Alma... Ainda.

Os Ciclos Destrutivos do Blog

Eu compro sapatos baratos.

Durante um bom período da minha vida, eu só podia comprar sapatos baratos, e olhe lá. Hoje em dia eu até poderia comprar sapatos mais caros, mas prefiro os baratos porque eles duram pouco – geralmente seis meses.

Sapatos Baratos

Isso significa que eu posso comprar sapatos novos e diferentes duas vezes por ano. Eu gosto de comprar sapatos e gosto de variar, então isso funciona para mim.

Agora, você deve estar se perguntando o que diabos tem isso a ver com o assunto deste blog. Calma que eu estou chegando lá.

Desgaste

Os sapatos baratos duram pouco porque eles se desgastam. O que acontece é que a sola deles se desgasta com o uso e quebra. Sempre no mesmo lugar – onde o pé dobra ao caminhar. E sempre primeiro no pé direito.

A princípio, a rachadura é pequena e não causa problemas. Eu continuo usando o sapato até que a rachadura começa a incomodar. Aí é hora de trocar de sapatos.

Obviamente, a rachadura é causada pela minha forma de caminhar, por isso ela acontece sempre no mesmo lugar e no mesmo pé.

Identificando o Ciclo

O mesmo acontece com meus blogs. Pelo menos uma vez por ano, eu passo um tempo longo sem postar. Isso é um ciclo, muito semelhante ao ciclo dos sapatos.

Eu tenho uma forma específica de blogar, e de caminhar pela vida. Periódicamente essa forma de “caminhar” desgasta a sola de meus sapatos bloguísticos e causa uma rachadura.

Essa rachadura se traduz em um período sem postar. Nem sempre a origem da rachadura sou eu; algumas vezes eu me afasto dos blogs, outras vezes coisas além do meu controle me afastam – como o problema nos tendões do braço, por exemplo.

Mas o fato é que o ciclo se repete. E eu ainda não aprendi a contornar isso. Eu tenho um plano de emergência, mas não o coloquei em prática. Tenho muitos e muitos rascunhos, mas nenhum post pronto. Tenho quem pode cuidar do blog e dos comentários para mim. Tenho quase tudo o que preciso – mas não coloquei o plano em prática.

Por quê? Porque isso faz parte do ciclo.

Quebrando o Ciclo

Eu nunca tinha percebido que isso era um ciclo, até escrever este post. Cada rachadura, cada crise, é como um furacão – enquanto você está sendo arrastada por ele, é difícil ver o panorama completo.

E se após o furacão você não para e analisa o que aconteceu e procura ver o que deu certo e o que deu errado, vai, como eu, repetir o ciclo na próxima oportunidade. É preciso observar e identificar os padrões, pois eles requerem soluções bem diferentes de episódios isolados.

Temos a tendência a repetir inconscientemente comportamentos e padrões aprendidos ao longo da vida. A única forma de mudar isso é identificar esse padrões e fazer um esforço consciente para agir diferente nas próximas vezes.

Além de identificar e corrigir esses padrões, é preciso lembrar que nenhum sistema funciona, se nós não o fazemos funcionar.

Se a teoria não é levada à prática, se os planos (como o plano de emergência, por exemplo) não saem do papel… não importa que eles sejam fantásticos e perfeitos, a coisa não vai funcionar.

Moral da História

Este post talvez pareça um tanto “esotérico” para o assunto deste blog. Estou compartilhando minha experiência, como sempre, com a esperança de que seja útil para você de alguma forma.

Talvez você tenha outros ciclos prejudiciais, em lugar de passar meses sem postar. Eu não sei, mas espero que minha experiência ajude a evitar que você cometa os mesmos erros que eu. 🙂

Image: Hamed Saber – CC

Nospheratt, pensando na vida

Nospheratt

Quando eu cheguei (2006 - primeira era jurássica da Efigênia), isso aqui tudo ainda era mato.

Previous

Mais Coisas Que Não Podem Faltar no Seu Blog

Next

Compfight – Encontre as Melhores Imagens Para o Seu Blog

8 Comments

  1. No meu caso, esse ciclo de abstinência durou dois anos. Eu não abandonei completamente o blog. A cada mês eu ia lá e postava uma besteira qualquer, só pra lembrar que ele existia. Meu filho único. Meu sapato velho. De repente, um belo dia de maio de 2011, a vontade reacendeu e eu tô em nova lua de mel com ele, até chegar nova lombra. Até aparecer um novo calo.

  2. Há muito tempo que queria felicitar o seu regresso, sem exagero você é das poucas pessoas que faz falta na Internet. Faço-o o hoje por que este seu artigo da comparação dos sapatos merece uma medalha. Por desígnio ou não, acontece que eu já não consigo ver o blog na minha frente, então veio mesmo a calhar. Acontece, porém, que os meus leitores são predominantemente de países estrangeiros, e tenho acordos na difusão de certos vídeos de activistas que me enviam para divulgação. Já me aconteceu alguém me enviar material eu não publiquei e essa pessoa exigiu-me todos os vídeos de volta. Mas o seu conselho dos sapatos é formidável, e no meu caso vou baixar o ritmo, quer gostem quer não gostem, o blog é meu, e apenas foi um acordo de cavalheiros, não existe nada assinado.
    Cordiais cumprimentos, com consideração
    Jorge G.Goncalves

  3. É a gente vê mesmo muitos blog jogados as traças. Tem blog que está na primeira página do Google em determinado assunto e mesmo assim não recebe atualizações do proprietário, dá até dó de ver. Muitos blogs estão sonhando com uma primeira pagina, e não conseguem outros estão desprezados, fazer o que! O bom é que você decidiu estar, e ficar, e me alegra muito essa notícia.

    • Obrigada pelo apoio! 🙂

      Sobre estar na primeira página, isso depende de muitos, muitos fatores – aguns deles de conhecimento exclusivo do Google, inclusive. É triste, mas é a realidade.

  4. Muito legal o artigo, é isso acontece mesmo na nossa vida de blogueiro, nem sempre podemos e temos as coisas tudo organizadas, e quando a responsabilidade aumenta o tempo fica mais escasso..

  5. Interessante… a rachadura na sola do meu sapato obedece a princípios um pouco diferentes. Meu Blog destina-se a tratar de assuntos relacionados a cicloturismo, portanto costumo postar lá as minhas viagens de bike, meus contatos, minhas experiências. Atualmente estou afastado das bikes em razão de uma cirurgia de coluna.No início pensei “E agora?”. “O que fazer com o Blog?”. Tenho leitores fieis não os poderia deixá-los a ver navios! Conclusão, postei coisas sobre a minha cirurgia, meu estado de saúde e a razão pela qual me afastara das bikes e cicloviagens. Funcionou! Parece que até aumentou o número de visitas ao Blog!

    Acredito que todos nós temos uns “sapatos baratos” de vez em quando.Mas, também acredito que eles possam vir a serem reformados, ganharem um solado novo e voltarem a dar conforto aos nossos pés!

    Parabéns, Nosfh pelo post. Foi um recado e tanto!

    Um grande abraço do Antigão!

  6. Esses ciclos estão parecendo uma TPM virtual. Que Deus tenha piedade! Se TPM já é uma chateação, imagine TPM virtual disseminada no mundo…
    Não me leve a mal, é apenas uma tentativa mal sucedida de fazer piada.
    Achei super interessante sua maneira de traçar paralelos e muito útil também.
    Bjs

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén|Social Icons by Freepik