Blogando com Alma... Ainda.

Três Anos… E Daí?

Então, que este blog hoje cumpre três anos.

E eu não sinto que haja muito o que celebrar. Eu sei que o fato de ter chegado aos três anos é um feito, a maioria dos blogs não passa do primeiro mês. Mas e daí?

Eu passei a maior parte deste ano sem blogar. Uns 5 meses de silêncio. Silêncio, desilusão e desencanto.

Volto após todo esse tempo, e nada mudou. A “blogosfera” continua crescendo sem evoluir.

E eu continuo com a idéia (imbecil) e a pretensão (presunção) de fazer alguma coisa que preste, que faça sentido, que faça alguma diferença.

Hum.

Yamato

Eu já cansei de dizer, a “blogosfera” nada mais é do que um reflexo ou extensão do “mundo real”. E é claro que aqui como lá, “fazer alguma diferença” é dificílimo, porque a grande maioria das pessoas está pouco se lixando pra isso.

No post A Volta Dos Que Não Foram, o Dudu pergunta:

Tenho notado que uma grande quantidade de blogs com mais de 2 ou 3 anos tem sido quase abandonados.

Cada um tem as suas razões, com certeza, mas será que o Twitter e a overdose de informações em tempo real tem uma boa dose de culpa nisso?

Nope. O que tem uma boa dose de culpa é a overdose de m*rda com a qual qualquer um que tenha um mínimo de visibilidade e trajetória tem que lidar, todos os dias. Quer alguns exemplos?

  • Comentários imbecis de gente que não leu seu texto
  • Comentários imbecis de gente que leu seu texto, achou uma m*rda e gastou 20 minutos escrevendo insultos, em vez de rebater seus argumentos
  • Pedidos de ajuda de gente sem noção que pensa que você tem tempo para dar assistência técnica via email/MSN (?!)
  • Emails de agências de publicidade pedindo que você faça post pago (publieditorial é o cacete) de grátis (?!)
  • Emails de agências de publicidade oferecendo 2 mariolas para que você faça post pago – e querendo saber até a cor das suas calcinhas, em troca
  • Pedidos de parceria (== troca de links e banners) – Sim, isso ainda existe.
  • Os idiotas que te seguem no Twitter só para lhe informar constantemente o quanto você é idiota
  • Plágio, plágio e mais plágio
  • Polêmicas imbecis, justificação do injustificável, relativização do que não é relativo
  • Etc, etc, etc.

Infelizmente, essa lista é curta, muito curta, comparada com a realidade. E vaga. Para cada item dessa lista, eu poderia apresentar toneladas de casos concretos, tanto de minha colheita como de todos os blogueiros de respeito que eu conheço.

Mais infelizmente ainda, fazer isso só iria conseguir que eu me incomodasse muito. Dar nome aos bois, na blogosfera, só serve para que a chusma se divirta por umas horas, vendo o traseiro do blogueiro linguarudo pegar fogo. Após essas horas, tanto o caso como o blogueiro em questão são relegados ao esquecimento e ao ostracismo.

A blogosfera imita a vida, e aqui também a memória dura menos que um espirro.

Também aqui, é mais relevante quem tem milhares de seguidores no Twitter porque usa script, e menos relevante quem realmente está interessado no que você tem a dizer.

Também aqui, é mais interessante quem mostra a última bunda que apareceu na Playboy, que quem está tentando prestar um serviço decente ao seu leitor.

Também aqui, é mais popular quem faz de conta que se importa com a “blogosfera”, que quem efetivamente trabalha por essa mesma blogosfera.

Isso era assim quando eu comecei a blogar, lá em 2006, continuava sendo assim no começo do ano, quando eu parei de blogar, continua sendo assim agora, e provavelmente continuará sendo assim no futuro.

E agora, José?

Se isso foi, é e será assim, porque eu estou de volta?

Por sua causa, leitor.

Nós somos a resistência.

We must be strong and brave.
____________________________

Para quem captou a referência, você já viu isso?

Nospheratt, pensando na vida

Nospheratt

Quando eu cheguei (2006 - primeira era jurássica da Efigênia), isso aqui tudo ainda era mato.

Previous

A Volta Dos Que Não Foram

Next

Zoundry – Top 10 Ferramentas Para Blogar

29 Comments

  1. Eh, Nospheratt… Entendo bem o que você fala. Tendo completado 2 anos de blog há pouco e desde a sua criação tentando criar conteúdo que realmente ajude, ver o que acontece blogosfera a fora é extremamente decepcionante e desanimador.

    O que me motiva é a parte boa da coisa. Ver que meus textos tem ajudado tanta gente é o combustível que eu uso para continuar escrevendo e acho que deveria ser também o que pessoas como você, também deveriam usar.

    Se não fizermos a nossa parte, os blogs vão voltar a ter a relevância “miguxa” que tinham antes e não queremos isso, certo!? =)

    Abraço!

  2. Sim, nós somos a resistência! E eu, inclusive, só estou aqui porque você me deu vários toques no começo que foram muito úteis. Sem contar todo o material que você escreveu e que eu vivo consultando.

    Olha só que bacana, meu blog já passou o primeiro ano e continua ativo! Maravilha!!! E olha que eu não achei que conseguiria segurar a onda por mais que dois ou três meses…

    Seja bem vinda de volta!
    Anime-se!

    Um grande abraço e Sucesso!
    Rics

    PS: Obrigado por tudo o que fez pelo Pensa Rics, direta e indiretamente. Valeu mesmo!

  3. Mas se ainda existem blogs tentando fazer tudo certo, tentando (ao menos tentando) fazer valer a pena, é grande parte por causa de você. Eu, pelo menos, estou tentando. Se está funcionando, não cabe a mim dizer. Mas aprendi muita coisa através das dicas que li aqui. Obrigada por tudo e parabéns pelos 3 anos de blog. Porque, mesmo que este ano não tenha sido lá muito ativo, a bagagem dos outros anos compensa.
    Beijos!

  4. Este espaço virtual é mesmo muito grande (assim como o real), e aquela sensação de que muito se faz e pouco se vê (resultados, mudanças)parece ser a mesma ou nenhuma. Entretanto, o que acrescento por aqui, neste teu espaço, é que desde que tive acesso àquela cartilha do Bê-a-blog, me senti respeitado para o que eu apenas almejava fazer.

    Estou para completar um ano com o meu blog e sempre caminhando para conhecer um pouco mais e fazendo algo mais. E o teu trabalho está nas entrelinhas do que faço. Aí que está o diferencial. Coisas aparentemente simples, pequenas, mas com efeitos duradouros.

    Muito obrigado.

  5. Nospheratt, é bom vê-la de volta.
    Saiba que apesar das desilusões, você ajudou a formar uma geração de blogueiros e eu me incluo nela.Tenho tentado fazer o mesmo com os meus leitores, mostrando-lhes a importância da ética, do companheirismo, de não nos vendermos por tão pouco e gostaria que você soubesse que parte disso veio do Blosque, do Contraditorium e de outros blogs que estão há mais tempo na estrada e que não se corromperam. Abraços.

  6. sim, nós resistimos! Fico feliz em ver você de volta… mas tenho que admitir, se não fosse a @opss ter linkado o artigo no twitter, eu não teria lido =x tem um tempão que não leio blogs, tanto que formulei uma tese: “quanto menos você lê outros blogs, menos você atualiza o seu próprio” – pelo menos pra mim, e pros blogueiros próximos com quem já conversei sobre isso pessoalmente, mostrou-se uma tese válida.

    beijos Nosphie! Bem vinda de volta, de novo =)

  7. Que bom que voltou para tornar a blogosfera melhor, imagina se deixassemos tudo… seria tomada por trolls, miguxos e gangue ilimitada.
    Para fazer a diferença, ser a resistência, é que estamos aqui.
    O conteúdo produzido e disponibilizado precisa melhorar, vai ser uma batalha diária.
    Se Saramago fez questão de dizer que na blogosfera se produz muito, mas com pouca qualidade, temos que transfomar esse lugar.
    Não quero ser profeta dum mundo caduco.
    Valeu,
    All3X

  8. Olá, sou novo na Blogosfera (comecei meu blog o Sexy Help Desk em Janeiro). Vejo que vc é uma escritora muito experiênte e que faz um trabalho sério com seu blog. Não passei pelos problemas que vc descreveu (ainda) e entendo que deve ser difícil lutar contra essa maré de cultura lixo que vemos por ai. Na interner isso não poderia ser diferente, já que, como vc mesmo citou a internet é um reflexo de nós mesmos. Agora, vale a pena continuar? Eu digo que sim, pois existe muita coisa interressante e feita com muito carinho e qualidade disponível na Blogosfera! Os que fizerem um bom trabalho (como vc) sempre terão um público cativo! Não desista, pois vc acabou de ganhar mais um leitor! Espero ter notícias suas por aqui. Beijo do SHD…

  9. Foque no que é bom. As coisas ruins não deixam de existir, mas a paisagem fica melhor e a viagem mais agradável. O seu trabalho é insubstituível e valioso e ainda que isso fosse a única coisa legal de tudo isso, seria mais do que suficiente para continuar a trabalhar animadamente.

    Fico feliz que esteja por aí.

  10. Sua volta vai dar mais força para que a blogosfera se torne cada melhor, para os leitores e para os blogueiros que realmente levam á sério o que fazem e sabem respeitar outros blogueiros e seus leitores. Seja bem vinda de volta e um grande abraço.

  11. Eu assino em baixo.

    Mas esperar o que de uma população em que, últimos levantamentos do governo, 74% da população adulta é formada por analfabetos funcionais?

    Produzir conteúdo e conseguir ser compreendido, neste país, é muito mais do que arte, talento e competência; é uma verdadeira loteria.

    Acho isso o pior de tudo: “Comentários imbecis de gente que leu seu texto, achou uma m*rda e gastou 20 minutos escrevendo insultos, em vez de rebater seus argumentos”. Cito inclusive um leitor que me acompanhava desde o início, mas que se irritou porque simplesmente tive uma opinião oposta ao extremo radicalismo dele. As pessoas podem ter a ideologia que quiserem, desde que não fiquem cegas para fatos óbvios e entendam que em política (o tema do meu blog) ninguém é santo e ninguém é 100% dono da verdade. Seja de esquerda ou de direita, a pessoa deve ter o discernimento para separar o joio do trigo e compreender que erros acontecem. Deslizes políticos são comuns e não devem confundir uma ideologia com uma profissão de fé.

    Mas, quando se trata de um público com dificuldade de entendimento tudo vira ofensa. Talvez isso explique a profusão de bundas e assuntos desinteressantes nos “grandes blogs”. Uma vez disseram (se não me engano na lista blogosfera) que o BBB sempre vai dar mais audiência do que o bigode do Sarney (ou mais ou menos aissim (rs)). Por isso a blogosfera “cresceu sem evoluir” como você bem escreve. Rapidamente o pessoal percebeu que, se você quer ganhar uma graninha para desbancar o Edney (rs), tem que botar a bunda no blog (Literalmente).

    Exatamente como fazem os jornais recém lançados com fotos de cabeças estouradas e muita pornografia de gosto duvidoso.

    Mas, morro abraçado com você quando diz “Nós somos a resistência”. Pelo menos espero estar nessa categoria e procuro oferecer o melhor ao meu leitor. E, observando o crescimento de leitores e de assinantes (mesmo escrevendo sobre algo odiado por 10 entre 10 brasileiros), acredito que estou no caminho certo.

  12. Olá!

    Parabéns! Manter um blog por 3 anos não é fácil (eu que o diga!!! rs)e o seu é coisa boa, com certeza. Eu gosto daqui e embora não comente, leio sempre.

    Um beijo e obrigada por dividir seu espaço conosco.

  13. Nospheratt.
    Em todos os segmentos, sempre há a massa e os expoentes que seguem na frente, abrindo caminho, orientando ou servindo de exemplo. Você faz parte desse time de elite da blogosfera e acho que o melhor é seguir adiante sem olhar muito pros lados. Se formos esperar que os outros “se iluminem”, é melhor sentarmos, porque vai cansar.

    Também faço parte dos que muito aprenderam e progrediram, graças ao seu trabalho.

    Bom saber do seu “retorno”.
    Sucesso!!!

  14. O que mais me afetava mesmo eram os comentários imbecis mas agora não ligo mais.
    Do resto é só, acho que os comentários acima do meu já disseram muito do que penso, como o do Arthurius, do Alessandro e o do Bernardo Pina por exemplo…

  15. Na blogosfera como na vida real cada um se vira como pode. O Noronha escrevia textos primorosos, mudou de foco e esta caindo na vala comum. Isso é ruim?

    Não, claro que não é. Ele não deixa de ser quem é só porque esta aproveitando-se de algo que é consumido.

    Noto que essa “depressão” acontece também quando alguém muda do blogspot para WordPress.
    Você mudou de foco e ficou um tanto quanto desiludida (foi isso que achei, se estiver errado, me perdôe).

    Lhe acompanho desde lá e notei isso.

  16. Seu trabalho certamente faz falta para aqueles que estão começando a blogar, pois quando iniciei meu blog, o Blosque era um dos oráculos a consultar. Por isso vou ser eternamente grato.
    Espero que durante esse tempo longe da Blogosfera você tenha recarregado as baterias e se carregado de “munição” para enfrentar as adversidades que infelizmente há na Blogosfera. Abraços,

  17. É, de tal forma isso me re-animou a voltar a postar. Estou no meio desses blogueiros que, após 2 anos de blog simplesmente cansam. I’ll be back.
    Valeu, Nospheratt, pelo post. Animou bastante.

  18. Ahhhhhhhhhhhhh, amém, Nosphie. Deus atendeu minhas preces. Caramba, eu estava a ponto de ler e reler todos os seus artigos só para sentir aquele prazer que só o seu modo de escrita me proporciona. E, sinceramente, você é a blogueira que eu conheço que melhor escreve (te comparando a todos os outros blogueiros que leio diariamente). Essa é a melhor notícia que li nesse mês (ou ano, talvez).
    Estou no mesmo barco que você, acho eu: tentar criar um conteúdo original (mesmo que seja difícil e desgastante depois de um tempo). Meu blog completa 3 meses agora dia 09 de Julho, e espero estar firme e forte até lá, produzindo coisa original e sem aquela porcaria de cópia literal, hehe.
    Vou deixar bem explícito o seu blog nos meus Feeds, novamente.
    Abração e keep bloggin’!

  19. Três anos e é tempo de PARABÉNS dona guerrilheira, senhora do código, mestra e amiga. O blosque tá aqui – e, seguindo o conselho do Alessandro você vai conseguir superar o asco e o horror, tenho certeza.
    A gente sente a sua falta, muito e sempre. Volta aqui, moça de Montevideo, Uruguay, que tu fazes uma falta danada!!!

  20. Tapa na cara!

    Tenho inveja de você. Particularmente já desisti de tentar qualquer coisa pela blogosfera.

  21. Que desabafo!

    É, infelizmente esta é a realidade. Mas, não perca o ânimo.

    –>> “Don`t worry, be happy!” (Apesar de…) =;b

    Abraço.

  22. Oi, Nosphe!!! Eu sei que é triste ver que o prazer de criar materiais de qualidade, inéditos, inteligentes, intrigantes não foi descoberto pela maioria. Infelizmente, o conteúdo produzido busca manter o padrão esperado pela massa de leitores, perdendo uma excelente oportunidade de influenciar positivamente essas pessoas. E esse problema é sistêmico. Quem não conhece alguém que, diante de um trabalho de escola ou faculdade, prefere copiar ou pagar por algo pronto ao invés de usar os neurônios e produzir algo inédito?

    Mas a internet ainda é muito nova para a grande maioria dos brasileiros, o que dá esperança de vê-los abandonar a mesmice de sempre e buscar alternativas.

  23. Bernardo: Essa parte boa é o que eu chamo de “você, leitor”. 😉

    Rics: Parabéns! E não precisa agradecer. Eu tenho orgulho de ser parte (ainda que pequena) da vida de blogueiros como você. 🙂

    Marina: Obrigada! E não se preocupe, prometo que o resto do ano vai ser ativo. Graças a vocês! :*

    Marcelo: Fico deveras feliz em ser útil! 🙂

    Juliana: É bom ver você por aqui! E eu SEI que você entende perfeitamente o que eu digo, porque seu “ofício” no blog é igual ao meu; você sente na carne como é difícil tentar ensinar, né? Muito obrigada por suas palavras!

    Johnny C: Hum, acho que sua teoria faz sentido. E acho que ambas coisas são sintomas do mesmo problema. Obrigada!

    All3X: Lamento dizer, mas a blogosfera já foi tomada por trolls e etc. Somos os profetas malucos que andam na rua gritando “O fim está próximo!” 😛

    Sexy Help Desk: Vale a pena, tão somente por causa de vocês, leitores. Eu nunca vou cansar de dizer isso, porque se não fosse por vocês, eu teria pendurado as chuteiras definitivamente, há tempos.

    Alê: Caríssimo, eu foco. Se não, não estaria aqui. Mas você há de concordar em que há momentos em que o que é ruim supera amplamente o que há de bom. Mas somos teimosos, né? 🙂

    Iceman: Obrigada! 🙂

    Arthurius: Eu também acredito que você está no caminho certo. A grande m*rda é que esse é o caminho mais pedregoso e difícil. Especialmente no seu caso, o que lhe dá ainda mais mérito. 🙂

    Morreremos abraçados, sem dúvida. Provavelmente nossa batalha terminará como o Álamo, mas lá estaremos. 😉

    Tina: Não é nada fácil, né? Parabéns, e obrigada! 🙂

    Ronaud: Sim, você tem razão. Mas como “seguir adiante sem olhar muito pros lados” dentro de um meio que é primariamente coletivo e interativo? Difícil, quase impossivel. Nenhum blogueiro é uma ilha.

    Evandro: EU procuro não ligar, mas o volume é tanto que fica difícil ignorar. E isso ainda vai piorar antes de melhorar. 😛

    WBrown: Não é ruim para quem? Para ele, talvez não. Para o público que consume m*rda, com certeza está ótimo. Mas quando alguém do naipe do Noronha cai na vala comum, é uma enorme perda para nós – para a resistência.

    Sim, você está errado (no meu caso, pelo menos), mas não me ofende. Eu migrei par WP em 2007. A “depressão” vem é de ver que as coisas ruins (a bundalização, a imbecilidade, a superficialidade) só pioram, só aumentam, em vez de progredir. Não tem a ver com a plataforma ou com o foco.

    José: Obrigada pelo apoio! 🙂

    Abigobaldo: Não desista, a resistência precisa de você! 😉

    Alan: Você não sabe o quanto me consola ver um garoto de 16 anos fazendo um trabalho correto e caprichado como o seu. Espero comemorar com você os 3 anos (e mais) do seu blog!!!! 😀

    Lucia: Joaninha querida, não sei se superarei, mas continuarei na luta, camarada! Principalmente, contando com você, amada mia. ^^

    Fábio: Blé. Inveja nada. Eu não tento mais nada pela blogosfera, that ship has sailed. Eu trabalho por vocês, pra vocês, com vocês.

    Susy: Obrigada! 🙂

    Elaine: A esperança é a última que morre… embora eu tenha lá minhas dúvidas, infelizmente.

  24. Artur

    Hey Nospheratt,

    Eu sou novíssimo na Blogsphere, e tenho me encantado recentemente por blogs como o seu, assim como outros. (temos que agradecer ao Alan Niemies por falar tão bem de voçe e por me permetir te encontrar)

    acredito que eu tenha (por enquanto) pouquíssimo a acrescentar aqui. mas garanto que farei parte da resistencia.

    let it be.

  25. O triste é saber que antes (antes de 2006, bem entendido) NÃO era assim… :/

    Céus, Nosphie, esse post quase me deu vontade de apagar o ddf (eu disse “quase”).

    Em tempo: PARABÉNS (atrasadésimo) pelo aniversário do blog!!!

  26. É Nosphie graças as rezas do Alan você ressurgiu das cinzas para nos guiar pelo caminho correto mesmo que seja estreito,perigoso e com poucas pessoas mais ter a certeza de que mesmo eu que não tenho nada (ainda) a acrescentar na blogosfera com muitas dúvidas,maus pensamentos vou procurar não cometer mais M*rdas e com fé em deus participar da resistência graças ao choque que tomei de um adolescente de 16 anos(Alan) em que lembrando que estudar,gostar de ler e ter esperança é o minimo para mudarmos a mentalidade e dar um remedio para esta aminésia brasileira. Neste muquifo que é o brasil pessoas preferem ver reality shows do que ler um livro e terminar o ensino médio,sem comentários!!

    Abraço e parabéns pelo blog!

  27. Bom, um excelente post, algo que traduz a perfeita realidade, vivemos em um mundo louco, os valores parecem ter se perdido no tempo, o que da audiência e divulgação na mídia, muitas das vezes são coisas desconexas, pornografias, fofocas, intrigas, o errado parece que está querendo tomar o lugar do certo, é assim, nós deparamos com a blogosfera, uma rede de informação que cresce dia após dia, muitas das vezes sem objetivo, sem direção, sem rumo, se tornando apenas uma página a mais …

    Mais como você relatou no início de sua postagem, três anos é daí…???

    Ai… Eu como leitor te respondo, continue desenvolvendo esse trabalho maravilhoso, levando a pessoas com pouco conhecimento uma luz, uma dica, por menor que pareça essa virgula ela pode se tornar um imenso texto, dois pesos duas medidas, uma nova mentalidade, a cada dúvida, uma resposta, a cada incerteza de continuar ou não, pode se ter como certeza seus inúmeros leitores que admira seu trabalho.

    Forte abraço Ariane, espero poder continuar lendo suas postagens por muitas décadas.

    Atenciosamente Ângelo Moraes
    “Com erros do passado espero traçar novos caminhos”

  28. Olha, Nospheratt, seria muita pretensão a minha me autonomear da ‘resistência’. Comecei particamente ‘ontem’ a blogar e vejo um longo caminho pela frentepara mim. o que posso perceber é o que demais pessoas já perceberam e eu apenas passo adiante, por, minimamente, crer ser verdadeiras as afirmações em minhas breves constatações. É como se eu enxergasse o mundo aqui na blogosfera com os olhas dos outros (aquelas pessoas que já caminharam mais do que eu caminhei). Se já afirmam que estamos já tomados por todo tipo de usuários de caráter duvidoso, não, eu não lamento, me desculpe. Pode até dar aquela ponta de resignação, mas não ultrapassa o desejo que inverter a situação a nosso favor (lá estou eu novamente me incluindo no meio, me desculpe, mas já está virando força do hábito…)
    Em tudo e por tudo isso, com muito pela frente, não posso deixar de ser confiante no que pretendo encontrar. Se as práticas estão alarmantes, vou lutar pela valorização. Modestamente, mas estarei lá, nem que seja em perpetuar essa crença.
    Se você pode crer que tudo esteja no fim, eu já percebo nisso então o início de um novo ciclo. Que este então se consuma e degenere, para da espaço a um novo mais altivo. Minha cara, tudo depende de para onde você dirige o seu olhar.
    Valeu,
    All3X

  29. Céu Arder

    Olá!
    Estou por aqui, numa louca e torturante tentativa de fazer um blog (já tentei alguns, mas desisti no começo; há coisas nestes códigos que acho que nunca vou entender), algo assim, sem muitos volteios, apenas para registrar algumas coisas que vão passando. Na verdade, isso nem importa muito. Sei que vou aprender e conseguir.
    O que mais me encantou, porém, foi ver, neste espaço internáutico, pessoas deste “calibre intelectual”, que, antes de tudo, respeitam nosso idioma na sua forma simples, mas correta.
    QUE DELEITE! GANHEI O MEU DIA…

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén|Social Icons by Freepik