Blogando com Alma... Ainda.

O Problema De Ser Diferente

“Life is too short not to do something that matters.”
Hugh Macleod

Algo que importe. Algo que tenha significado. Algo que faça diferença.

Eu sempre andei atrás disso, há tempos essa é a resposta que eu andava procurando. E pelos comentários e respostas que recebi sobre o post Eu Não Quero Ensinar Você A Blogar, vejo que vários de vocês também andam na mesma busca. E isso é ótimo.

Há um problema, porém. Bah, devem haver vários, certamente que sim, mas hoje eu vou falar de um só, que é o primeiro que vai aparecer pra você, meu caro leitor e companheiro de estrada. Sim, estou falando com você, que também quer fazer algo que tenha significado pra você.

Você vai precisar de coragem.

Sobre Blogs, Coragem e Alma

Primeiro, coragem para vencer a voz interior que vai lhe dizer “Isso é estúpido!” e “Isso não vale à pena” e “O que os outros vão pensar?!” No mais das vezes, aquilo que tem significado e é importante para nós, não tem nenhuma função ou utilidade prática. Não se encaixa nas regras do mundo produtivo-corporativo-show-me-the-money no qual vivemos.

Então, colocar seu foco nesse tipo de coisa vai contra o condicionamento social que temos. E tentamos nos sabotar, para evitar fazer coisas que vão redundar em que não encaixemos tão bem no modelo capitalista, workaholic e materialista no qual estamos imersos, quer gostemos ou não. Isso dá medo.

Sobre Blogs, Coragem e AlmaVocê vai precisar de coragem para enfrentar esse medo. Para fazer com que essa voz negativa cale a boca, e deixe você ouvir a outra voz, a que fala das coisas que tem significado real pra você.

Também dá medo pensar que outras pessoas não vão nos compreender, não vão nos apoiar, vão rir de nós e nos ridicularizar. E eu tenho más notícias: muita gente não vai entender você nem as suas idéias ou propósitos, e vai rir de você, e ridicularizar você. E pior ainda: vão tentar convencer você a desistir.

Muitas vezes, pessoas que gostam de você vão tentar fazer você desistir, por alguma destas razões:

  • Porque não entendem o que você está fazendo e não querem que você perca seu tempo com coisas “sem sentido”;
  • Porque têm medo que você se dê mal, e não querem vê-lo sofrer;
  • Porque elas mesmas não têm coragem de fazer algo que “sacuda o barco”, que mude o satus quo das coisas, que saia dos moldes pré-estabelecidos; e portanto não querem que nada mude ao redor delas.

E você vai precisar de coragem para não desistir. Para não se deixar levar. Para seguir em frente em sua busca, fazendo aquilo que tem sentido pra você. Mesmo sem apoio.

Você vai precisar de coragem para ser diferente. Para ser o maluco que vai por um caminho alternativo. Para ser o “arrogante” que dá de ombros quando alguém diz “Isso não vai dar certo”. Para ser o iluso que se atreve a sonhar, e apostar nesse sonho.

Sobre Blogs, Coragem e Alma

E o único lugar de onde você pode tirar essa coragem, my friend, é da alma. Chame-a como quiser; é o lugar de onde vem essa necessidade de fazer algo com significado, com importância, algo que mude seu mundo e sua vida.

Sobre Blogs, Coragem e AlmaAlma. Aquilo que faz com que você seja realmente humano. O núcleo de humanidade que existe dentro de você, de onde vêm essas coisas de nomes bonitos como inspiração, criatividade, arte, emoção. O lugar de onde você pode tirar a coragem e a determinação necessárias para fazer o que realmente deseja fazer.

Eu sei que isso soa hippie, new age, auto-ajuda e outros adjetivos tidos como pejorativos. Mas contra fatos não há argumentos. Basta você olhar um blog, qualquer blog, e você sabe se o blog é feito com alma ou não.

E você sabe perfeitamente bem se o seu blog é feito com alma ou não.

São coisas praticamente impossíveis de explicar, mas que a gente sabe. Cada um tem um conceito e explicações próprias para o que eu chamo de alma. Espírito, inteligência, personalidade, vida… O nome não importa. O que importa é que é algo genuíno, verdadeiro, é a expressão de nós mesmos, tornada coisa concreta do lado de fora.

E seja qual for o nome que você lhe der, vai precisar de coragem para que o seu blog seja uma expressão disso.

No entanto, se eu tenho coragem para vir aqui e falar de alma e blogs com alma, você pode ter certeza de duas coisas: uma, que você pode arranjar coragem para dizer qualquer coisa, afinal, nada pode ser pior do que isso… 😛

E duas, que seja lá qual for a loucura que você inventar, pelo menos uma pessoa vai entender: eu.

Nospheratt, pensando na vida

Nospheratt

Quando eu cheguei (2006 - primeira era jurássica da Efigênia), isso aqui tudo ainda era mato.

Previous

4 Coisas Que Não Podem Faltar No Seu Blog

Next

Como Vencer a Síndrome da Página em Branco

30 Comments

  1. Obrigada pelo apóio. Vou precisar de coragem…

  2. Nospheratt, seus posts são um bálsamo para os olhos, principalmente se levarmos em conta o monte de asneiras que lemos por aí diuturnamente, possuem caraterísticas peculiares que te fazem única na blogosfera.

    Obrigado por mais essa obra-prima!

    @jmpsousa

  3. Mais uma vez, e sei que isso é muito egoísta da minha parte, leio um de seus textos como se estivesse “escutando” algo dito por uma pessoa amiga. Parabéns por essa capacidade, e coragem, de expor sua alma nesses textos cheios de emoção; que estimulam a mim e a outros a continuar acreditando em também tentar expor nossas almas.

  4. Vivian

    QUE LINDO!! (tive que colocar em caixa alta mesmo). Vi que você mora no Uruguai – mas é brasileira, depois que li o “bah” no texto, uma pergunta indiscreta: vc é do sul? GOSTEI DE VERDADE!! PARABÉNS!! :)) Conquistou ainda mais uma leitora!!

    • Vivian: 🙂 Sim, embora tenha nascido no Uruguay (onde moro atualmente), me criei na grande Porto Alegre e sou gaúcha com muito orgulho! 🙂

  5. Embasbacado. Minha situação atual é EXATAMENTE essa. o_O

    • @fbjr: Bom, então você já sabe duas coisas. 😉 BTW, fiquei tão feliz com seu comentário no Twitter que cê não tem loção. 🙂

  6. Ser diferente doi… mas e muito mas doloroso perde o potencial da diferença! perde a personalidade diluida na igualdade do dia a dia! parabens!

  7. Esse texto vale pra vida!

  8. Super em identifiquei.

    Muito bom encontrar alguém que pensa como a gente e não tem medo de SE ASSUMIR.

    #adoro.

  9. Demais!!!

    Não tem um post seu que não me deixa morrendo de vontade de criar algo diferente. Valeu por mais essa, deu o “boost” que eu estava precisando. =]

  10. Suas palavras (textos) são de encher o peito e dizer eu posso,eu consigo.Faz alguns meses que tenho estes projetos de melhorar o blog,ser webdesign,etc. E as pessoas a oredor (principalmente meus pais da era das cavernas)não consegue entender que isto que faço ou que fazemos é sim um trabalho,que seja alternativo..
    Mais é claro que temos que ter os pés no chão e ter uma estrutura para começar a blogar em paz sem muitas preucupações com dividas,vida,etc,temos que ter um canto só nosso para refletimos e trabalhar com efetividade.
    Bjs e continue assim!rsrs

  11. Vivian

    Me too, gaucha com maior orgulho do mundo!! :))

    Bjao

  12. Não há como comentar um texto completo com as palavras que ele merece… Você simplesmente faz toda a diferença! Acabei de dizer isso no Twitter.
    Há pessoas que realmente tinham que ter nascido!:-)

  13. Parabéns!! o q não falta no seu blog é ALMA, belíssimos textos, vc escreve mto bem.. abraços

  14. Teresa

    Há tempos venho pensando seriamente no assunto ser diferente; tenho tentado encontrar alguém para conversar sobre, escolhi algumas amigas, abordei o assunto, mas disseram não entender meus medos; desisti de falar com alguém, decidi ser diferente: rompi o silêncio e passei a mostrar e defender o que penso e o que quero convencer; uma colega de trabalho disse-me que sou muito corajosa, disse-lhe que sei que pagarei um preço altíssimo, mas que continuarei a ser e pensar diferente, se não for assim sentir-me-ei morta antes do tempo. Amei as ideias apresentadas sobre o tema.

  15. Vivian

    Nospheratt!

    Eu gostaria de deixar público aqui no blog, minha gratidão. Eu ainda acredito em pessoas mais “gente” e ainda bem que encontrei mais uma – você Nospheratt! Mesmo eu fazendo uma pergunta sobre uma função por email (isso que queria somente o nome da tal função) recebi uma explicação e até um link de uma forma clara, simples e super simpática! Agora só tentar! Agora deixo aqui, meu MUITO OBRIGADA a você! 🙂

  16. Ter um blog como o seu ajundando de graça as pessoas é simplesmente D+!

  17. marcell

    olha eu adorei o texto uma visao que as vezes passa desarpercebido
    e agente que pensa dessa forma lendo esse tipo de texto nos aperfeiçoa mais de como ser ‘o’ e nao mais um a andar por ai.
    parabens!obrigado!

  18. claudia

    olá! voltei de novo, acho que realmente existe pessoas parecidas comigo. Milagres existem, beijos!!!

  19. Poucas vezes li um artigo tão maduro e bom como esse. Quem optou por “fazer do seu jeito” se sente acarinhado ao ler suas palavras. Porque é difícil não ceder à tentação de se massificar. Certo que todos nós queremos ser lidos e apreciados. Se eu quisesse um blog só pra mim não o divulgaria. Ficaria colecionando as coisas que gosto e ponto. Mas não se acomodar e saber ou perceber onde está a fronteira entre a lealdade a si mesmo e a necessidade de agradar para ser lido é a grande sacada. Acredito que todo blog precisa ter uma filosofia própria e caminhar nessa direção. Os acertos a gente vai fazendo ao longo do caminho, ouvido o próprio senso crítico e também o senso comum. Gosto muito do seu blog, que, ao lado de outros, vem me ajudando muuito nessa caminhada desde 2008. Obrigada, Nospheratt.

  20. PS – Esse avatar que apareceu não sei de onde pouco ou nada tem a ver comigo. Se ainda tivesse essa carinha linda e esses cabelos encaracolados, estaria rindo e dançando de alegria. rs

  21. Dafne

    Post inspirador! Obrigada!

  22. Como sempre, muito bom o seu texto. Por ser “uma diferente” também resolvi me expressar e comecei um blog.
    Se tiver um tempinho, lá tem dois posts sobre os diferentes. Vale a pena olhar.
    abçs.

  23. inspirador ! Obrigada !

  24. Malvada

    Olá,

    A parte “Sobre Blogs, Coragem e Alma” realmente serviu como apoio pra mim; eu só discordei de um pedacinho, quando você diz que nada pode ser pior do que isso; não tem nada a ver com competição, mas logo na primeira postagem do meu Blog escrevi coisas que certamente incomodam a maior parte da população.

    Mas como diz uma canção da Alanis Morissette (A man), eu sou um “homem” que entende a sua reticência…

  25. Carlos Maneiro Jr.

    O que leva alguém a criar um blog? Ok, várias coisas, mas uma das básicas – ou que ao menos deveria ser – é gostar de escrever. Cada frase pode ser, e é, um prazer por si mesma, mas só ‘pega’ o leitor quando tu te comunica direto e no agora com ele. Quando, já escrevendo, trocas energia com esse leitor imaginário do qual já sentes o feedback, se ele tá gostando ou não. E esse exercício é também um exercício de vaidade, de gostar de ser gostado. Agora, por exemplo, tô só exercitando a vaidade (e a implicância), porque posso ser pretensioso, mas não sô néscio de querer ensinar a deusa a criar um blogverso (padre, missa, get it?). NÓGÊNTA! Que que tu tá fazendo no Uruguai? Que inveja… Nasci e me criei na fronteira Livramento-Rivera, e encho a boca pra dizer que metade da minha família é Uruguaia. Cultura conservadora no melhor sentido, ruas limpas, gente cordial e bem educada. Y las masitas, entonces? Exquisitas. Sou também competitivo, viu só? Quero me exibir mais do que tu. Gostei da foto da hippie ruiva de costas olhando pro rio. Algo de não mostrar quem és. Estando tranqüila, segura na confiança de que não vamos, não podemos te ferir. Nós, os iguais.
    Protesto: nós os azuis queremos nos dar as mãos faz horas, e chamar aquele verdinho esquisito pra brincar com a gente; quem é que tá nos regulando?

  26. wilson

    Legal teus posts. Em bora discorde de alguns pontos de vista, concordo com a tua busca por qualidde. Tem muito a aspirsnte à escritor, mas que peca no idioma. Eu não sou, nem de longe, um “blogueiro” (publico muito pouco), mas procuro mais ler do que escrever.Acredito que tenho muito que aprender com os outros, que eu a ensinar.

  27. Eu tenho um blog sobre um jogo chamado Habbo
    Mesmo o seu estilo de blogar sendo diferente, eu aprendo muito, eu fiz uma reforma drástica no meu blog, graças as suas sugestões 😀

    Eu não estou aqui para divulgar meu blog nem coisa do tipo, simplesmente para le parabenizar pelo excelente trabalho 🙂

    abrass

  28. Eu precisava disso. Obrigado.

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén|Social Icons by Freepik