Blogando com Alma... Ainda.

Filosofia Blogueira

Ultimamente tenho visto que muita gente acha que “Blogar por Dinheiro” é feio. Que acredita que a procura e a postagem sobre assuntos “da onda” vai transformar a blogosfera em lixo, como a TV. Que comparou os probloggers com o Ratinho. Que perguntou se “vale à pena se vender por uns míseros cliques”. Que acha que os anúncios publicitário (AdSense e afins) são pura poluição visal, um crime contra os leitores.

Ok. Olha minha cara de preocupada. 😛

Feio, vergonhoso, é roubar e não poder carregar, já dizia minha vó. Eu encaro meu blog como trabalho e quero ser remunerada por isso. É um direito que me assiste.

Os assuntos que estão na moda não vão transformar a blogosfera em lixo. Essa é uma simplificação maniqueísta. A blogosfera (e a Internet em geral ) está saturada de lixo e inutilidades. Também está cheia de bom conteúdo. E, como se falou por aí, bom conteúdo é uma questão relativa.

Eu acho que revistas de fofocas sobre celebridades são uma bela de uma porcaria. Mas elas existem, porque existe um público que as compra. Se você começar a escrever um blog sobre fofocas de celebridade, eu vou achar que seu blog é uma bela de uma porcaria. Esteja certo de que não serei sua leitora. Mas vai haver um público que vai gostar do que você escreve. Vou achar feio você escrever sobre esse assunto, no intuito de conseguir público e ganhar dinheiro com isso? Não, No máximo, acho que você tem mau gosto. E só.

A qualidade de um blog (e de qualquer meio escrito) não depende do assunto. Depende do talento de quem escreve. A relevância do conteúdo está diretamente relacionada com a procura por ele. Não vejo problema em escrever sobre o que seja, desde que você tenha um mínimo de talento para isso. E se você tem talento para escrever conteúdo interessante, sobre as besteiras que atraem mais público (sejam leitores ou paraquedistas do Google)… MEUS PARABÉNS! Vai nessa que é bom à beça, coloque seu AdSense acima da dobra, e seja feliz com as verdinhas.

O importante é ser fiel a si mesmo. Pergunte-se, quais são seus princípios, ideais e estândares. Até onde você iria, para ganhar dinheiro? O que VOCÊ considera errado? São questões puramente filosóficas… mas que podem marcar seu caminho. Se você acha que escrever sobre RBD é humilhante, não escreva. Se não tem problemas com isso, escreva! E pelamordedeus, não se preocupe com o que os outros dizem. Porque, afinal de contas, se você se vender, é problema seu!

E quanto aos anúncios serem um crime contra os leitores… Se você não gosta dos anúncios, feche a janela.

Nospheratt, pensando na vida

Nospheratt

Quando eu cheguei (2006 - primeira era jurássica da Efigênia), isso aqui tudo ainda era mato.

Previous

Aleluia, Funciona… Mais ou Menos, Claro

Next

Vale a Pena Investir Dinheiro no Seu Blog?

9 Comments

  1. celsojunior

    Estão dizendo por aí que os probloggers são até prostitutos agora… É lamnetável saber que vender o seu próprio peixe é ser escravo da publicidade…

    Abraços!!!

  2. Nospheratt

    Estão dizen sim, mas eu não dou a mínima. Prostituta é a Surfistinha, e escrava da publicidade é a Cicaralho.

    O problema é que é feio ganhar dinheiro. Pior ainda fazendo o que se gosta. Você tem que mentir, dizer que ganha pouco e é um pobre coitado infeliz, para ser aceito pela sociedade.

  3. Aldemir Silva

    Não sou problogger, mas nunca me incomodou o fato de quererem ganhar dinheiro com blogs.

    A única coisa que me desagrada é ver que o blog segue uma linha editorial e de repente muda. O leitor não se sente tão confortável com isso, mas é um direito do blogger, o que se pode fazer é deixar de ler o referido blog.

    Fico impressionado às vezes como alguns bloggers se tornam reféns das palavras chaves para serem bem indexados pelo google e atrair visitantes. Também não me agrada os blogs que tratam os visitantes como clicadores de adsense e só, não contribuem com conteúdo. Mas repito, é um direito do blogger o que posso fazer é fechar a janela e procurar algo interessante.

  4. Fritador

    Acho que o ponto é este mesmo: sentir-se bem com o que está fazendo.

    Tendo isso em mente, qualquer coisa que você faça vai longe…ninguém consegue forçar algo e levar isso adiante por muito tempo.

    Simples assim :>

  5. Elano Vasconcelos

    Eu recentemente comecei um Blog, o motivo simplesmente foi: vi aquela mensagem do blogger “faça seu blog” e eu me disse… “por que nao?”, entrando nesse novo mundo eu tenho certeza que nao vou me vender e nao vou escrever o que os outros querem ler…, escreverei e postarei tudo que eu quiser e quem sabe alguem goste e volte outra vez =P

    ps: sobre os anúncios…, nada melhor do que ficar no PC e ganhar dinheiro ao mesmo tempo, é um emprego dos sonhos xD

  6. Nospheratt

    Fritador, é, eu acho que o importante é que VOCÊ se sinta bem com o que faz. O resto é balela.

    Elano, dei uma olhada no seu blog, e acho que você está no caminho certo. Ainda tem um longo caminho a percorrer, mas está muito bem encaminhado. Agora, pra mim, esse papo de ” se vender” é furado. Se você não escrever “o que os outros querem ler”, terá que se contentar em escrever um blog só pra você mesmo. E atenção: isso não quer dizer que você tenha que escrever necessariamente sobre hype e assuntos da onda. Mas se não há mais ninguém querendo ler o que você escreve, qual é o sentido de ter um blog?

    E sem gente que queira ler o que você escreve (hype ou não), não adianta ter anúncios. E aí, babaus emprego dos sonhos.

  7. Meira da Rocha

    É isso aí, Nospheratt! Gutemberg estava pensando em ganhar muita grana com sua invenção. Pediu dois empréstimos para montar sua primeira oficina. A empresa foi registrada com o nome “A Fábrica de Livros” (Das Werk der Bücher). Livros só se desenvolveram e mudaram a civilização ocidental porque dava muuuuita grana. Um livro escrito à mão não tinha preço. Só reis e a igreja os possuíam. Livros impressos custavam o salário de três anos de um artesão. Dava muito dinheiro publicar. Hoje, dá alguma grana escrever bem, publicar na internet e faturar nos anúncios. É bem mais justo que viver de copyright.

  8. Fernando

    Bom, Acho que os blogs, devem ser considerados um serviço, com certeza, pois existe um empenho por trás de tudo isto, porém, escrevemos também porque gostamos do que fizemos. Ou seja útil+agradável.Fernandohttps://blog.fenon.com.br

  9. Diego Matias

    Bem , eu estou tentando me acostumar e gostaria que os anúncios do google fossem mais customizáveis. Fora isso, incomoda um pouco ver blogs falando das mesmas coisas, já que esse assunto (probloggers) está em alta.Da minha parte, espero que meu blog tenha sucesso, e pra isso vou atrás de bom conteúdo como o seu. Até mais.

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén|Social Icons by Freepik