Blogando com Alma... Ainda.

Cópias na Internet: Nem Tudo é Plágio

Tenho recebido comentários e emails que mostram que existem dúvidas e uma certa confusão quanto ao que é plágio e o que não é, o que é lícito e o que não é.

Isso me motivou a escrever este post. Vamos ver diferentes tipos de cópias, o que se pode fazer e o que não deve ser feito em hipótese nenhuma.

Sucesso e Fracasso

1 – O Plágio

Plágio é assumir a autoria do trabalho ou criação de outra pessoa.

Traduzindo em miúdos, se você publicou – em seu site, blog, perfil de rede social (no Facebook, por exemplo) ou onde quer que seja – um texto escrito por outra pessoa e não deixou estrondosamente claro quem é o autor, você está incorrendo em plágio.

Mesmo que seja apenas um trecho, uma frase; mesmo que você não diga explicitamente que você é o autor das palavras publicadas; se fica subentendido de alguma forma que você é o autor, é plágio.

Este é o tipo mais conhecido de cópia. No entanto, não é o único.

2 – A Cópia Não Autorizada – Contrafação

Credite o Autor - Não PlagieA meu ver, este é o delito mais comum. Contrafação é o nome dado na Lei de Direitos Autorais à cópia não autorizada.

Quando você republica o texto de alguém sem ter permissão do autor, está cometendo contrafação – está cometendo um delito previsto no código penal.

Se você não tem permissão do autor para reproduzir o texto, está fazendo m*rda. Não há desculpa. Nem sequer o fato de creditar o autor lhe escusa do delito – sem permissão, é delito e cabou-se.

E aí se incluem as cópias com citação clara de autor, com link e tudo; e também a SUJEIRA de incluir no final um link minúsculo que diz “Fonte”.

1º – Porque se você não tem permissão, não pode copiar. Você não tem direito de copiar.
2º – Porque “Fonte” é algo que se usa como inspiração, como FONTE de pesquisa ou de informação – não um lugar de onde se copiam textos.

Os FDP que colocam “Fonte” no final do texto estão mais para plagiadores do que para contrafatores, pois a palavra dá a entender que o FDP pesquisou no site linkado, não que copiou o texto de lá. De qualquer forma, são delinquentes.

Isso, pra não falar de outro tipo de FDP: os que colocam o link de forma que ele não pode ser clicado. Por exemplo, assim: Fonte: blosque.com.

Se você pratica qualquer das táticas citadas acima, saiba que você é um filho de uma quenga. Meus parabéns.

3 – A Cópia Autorizada

Cópia AutorizadaExistem muitos, muitos blogs e sites que permitem a cópia.

Tudo o que esses sites e blogs pedem é um link – um link de verdade, com nome do autor e/ou do blog, linkando para a página onde o artigo foi publicado pelo seu legítimo autor. Não “Fonte” ou as outras maracutaias que já citei.

Esses blogs costumam estar identificados com uma licença Creative Commons, ou dizem claramente em algum lugar que a cópia é permitida. Neste caso, copie à vontade – mas faça direito! Siga as condições que o autor colocou.

Cabe esclarecer aqui que a permissão para copiar pode incluir certas condições – o autor talvez permita a cópia, mas não a reprodução do texto em sites para fins comerciais. Isso inclui sites monetizados com Adsense, por exemplo. Ou seja: se o autor não permite reprodução para fins comerciais, e você monetiza seu blog, não pode copiar. Simples assim.

Antes de copiar, leia a licença. E siga os termos dela. Tenha vergonha na cara, pelamordedeus.

4 – A Citação

Citação - Ponto de ExclamaçãoEsta é a forma mais segura de “copiar”, sem incorrer em delito nem ter problemas de conteúdo duplicado. Gostou do texto, quer recomendá-lo aos seus leitores? Copie um trecho, CURTO, e publique um post com esse trecho e um link para o texto original.

Se você for capaz de incluir também sua opinião sobre o assunto, sobre o texto citado ou sobre os motivos pelos quais está recomendando o texto, beleza pura!

Lembrando que a citação dever ser pequena em relação ao tamanho do post original.

Se for um post, não passe de dois parágrafos. Se fosse um livro, até uma página inteira estaria bem.

Use o bom senso – a idéia é que a citação não anule o desejo de ler o texto na íntegra.

Com a citação, todos ganham:

1 – Ganha você, pois seu blog continua tendo conteúdo original e exclusivo (caso você inclua as linhas com sua opinião, claro está);
2 – Ganha o autor citado – afinal, se você acha que o texto é tão bom e/ou útil que merece ser reproduzido, bem que o autor merece ganhar umas visitas, em troca do esforço que ele investiu no texto, não? Nada mais justo, não?
3 – Ganham seus leitores – você está lhes oferecendo algo novo, digno de ser referenciado; e está mostrando que é uma pessoa digna, honesta e bacana. E ganha você de novo!
4 – Muito provavelmente, você também ganhará a atenção do autor – todo mundo gosta de reconhecimento.

Você Tem Muito a Ganhar – E Muito a Perder

Informação e InteligênciaAo contrário do que possa parecer, citando textos ao invés de copiá-los, você é quem mais tem a ganhar.

Ganha reputação, ganha respeito, atenção, conteúdo exclusivo – o que é muito melhor do que ser “autor” de um repositório de cópias.

Sem contar a probabilidade de ser desmascarado pelo que você é: plagiador, ladrão, medíocre. E nestes casos, não é questão de SE você será descoberto; é questão de quando.

Eu fico imaginando como será a sensação de receber um (ou vários) comentários dizendo na sua cara que você é um ladrão fracassado – sabendo que é verdade, que você não passa disso.

Os plagiadores e contrafatores esperneiam, reclamam, vociferam insultos, se negam a remover as cópias. Mas nada disso muda o fato de que não passam de delinquentes medíocres e covardes, que só fazem as m*rdas que fazem, porque estão escondidos atrás da tela do PC.

Cópia – Como Não Fazer M*rda

Quer copiar? É simples.

1 – Pergunte-se: vale a pena copiar, ou seria melhor usar uma citação?

Em 100% dos casos, vale muito mais a pena uma citação. Já expliquei por que. No entanto, se você for teimoso e quiser copiar mesmo assim, passe ao próximo ponto.

2 – Procure no site/blog qual é a licença do autor.

a – Não tem licença: Não copie. Em todo caso, entre em contato com o autor, e pergunte se pode copiar. Caso a resposta seja negativa, não copie. Caso seja positiva, credite de forma decente e visível. E agradeça – o autor está lhe fazendo um favor ao permitir a cópia.

b – Tem licença – Siga as determinações da licença.

Pronto. Não é tão difícil fazer as coisas corretamente, né?

Se você acha que tudo isso é muito trabalho, a solução é mais simples ainda: NÃO COPIE!

PS – Estou preparando um artigo sobre direitos de autor sobre imagens. A legislação aplicável é a mesma (sabia?), mas acho que cabe um texto mais específico. Inté!

Images: Big Photos For Design

Nospheratt, pensando na vida

Nospheratt

Quando eu cheguei (2006 - primeira era jurássica da Efigênia), isso aqui tudo ainda era mato.

Previous

Venda de Links e Penalização do Google

Next

Xeque-Mate, Blogosfera

40 Comments

  1. Carlos Hakme

    Olá … Exclareceu muita coisa pra mim. Já tenho o blosque.com como referência.
    Mas gostaria de sugerir também um artigo (acredito que possa ser feito juntamente com o artigo sobre Imagens) sobre Música, sons e suas derivações. O que é permitido ou não. Pois como eu disse em um outro post seu tenho dúvidas sobre o que pode ser reproduzido, como: Músicas na íntegra ? Apenas partes ?
    Parabéns pelo Blog. Com ele estou aprendendo muito, já que tenho ideia de montar um blog e não quero de maneira nenhuma fazer as coisas de forma errada …
    Abraços !!

  2. Carlos Hakme

    Apenas uma outra informação que me veio agora, ainda sobre imagens e música. Um vídeo no Youtube.com, por exemplo, como tratar esse tipo de informação já que Youtube é um site “público”?? e por exemplo, lá existem muitos clipes de músicas, shows, muitas vezes (acredito eu) que sem autorização. Posso copia-lo (baixa-lo) para meu servidor e reproduzir normalmente??
    Desculpe por tantas dúvidas, mas já que está discorrendo sobre o assunto, pode ser dúvidas de outras pessoas.
    Abraços !!

  3. Eu diria que a citação é mágica, todos ganham 🙂
    Não vejo qual a graça em ter um blog em que se copia e cola o tempo todo, deve ser um trabalho chato.

  4. Caraca, Nosph, tem gente que ainda cai nessas armadilhas?
    Sabe o que me chateia? É chegar num blog e ver um post do tipo:
    “Gente, olha o que eu achei no blog do Fulano:
    ‘xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx’
    Legal né?”
    .
    Porra, copiar um texto inteiro, disfarçar de citação, mas não acrescentar nada ao que a pessoa disse, é preferível simplesmente colocar o link. Ganhar visita com o neurônio alheio é feio, muito feio!

  5. Excelente texto, Nosphie! Mais que completo, muito esclarecedor! 🙂

  6. Graças a deus eu acho que ainda nao sou uma filha da quenga!!
    Quando eu leio algo que me “inspira” a escrever eu cito o link de onde eu retirei.
    Uma vez me ocorreu algo muito chato.
    Eu recebi um email com uma piada engraçadinha e publiquei, não tinha autor, então nao tinha como eu citar o autor.
    O fato é que o autor da piada apareceu e ficou p@to da vida!
    eu deletei o post, pedi desculpas, fiz um topico me retratando do ocorrido. Paciência.

    Depois disso antes de publicar coisas que recebo de emails eu penso dez vezes 🙂
    Outra situação complicada é quando voce assina feed por email, acaba recebendo os textos no email e repassando, muita gente faz esta pratica.

    Você esqueceu de uma coisa, talvez o pior de tudo: A pessoa copiar tudo do seu blog e nem se quer citar “fonte”.
    Ja imaginou se alguem publica esse mesmo texto que você publicou como sendo dele, com data retroativa ao seu post??
    como voce vai provar que é de sua autoria??

    O que você fará???como voce vai saber se o cidadão não linkou??voce so sabe que alguem te copiou se linkar pro teu blog.

    Por esses motivos citados por você é que as pessoas estão deixando de usar links. Eu por ex. antes de linkar alguem eu penso 10 vezes, pra nao incorrer no maldito plagio, vai que alguem pense que estou roubando a ideia dele só porque eu tive a ideia de escrever sobre um assunto baseado no texto daquela pessoa??
    Certas horas é melhor nem trackbakear. Se eu nao usei as palavras dele, se eu nao copiei, se nao citei o texto…

    Olhando blogs americanos, eles fazem textos com uns trocentos links, pingbacks, tracks etc nao tem essa perseguição que a blogosfera brasileira resolveu fazer.

    Tá tudo muito chato.

    Ps:
    Calma mulher, use termos mais apropriados, você é uma dama!olha só, você gostaria de entrar num espaço onde o autor usasse de termos com filho de uma quenga ou fdp?? rsrs
    Foi o que eu pensei 🙂

  7. No meu caso, o meu blog é um blog de noticias
    o que devo fazer? me ajude não quero ser um plagiador.

  8. Carlos: Bem, acho que já te disse isto em outro post: não tenho muito conhecimento no que tange à música. O que sei é que, exceto se for música explícitamente liberada para download, disponibilizá-la para baixar ou ouvir fere o copyright. Não faço idéia de como fica a reprodução parcial.

    Sobre os vídeos, sim, existe muito material desrespeitando o copyright no Youtube. Você pode exibir os vídeos no seu blog, mas aí tem duas coisas:

    1 – Se o vídeo for retirado do Youtube, como às vezes acontece, você fica sem o vídeo;

    2 – Se o titular dos direitos do vídeo resolver te criar problemas, poderá fazê-lo.

    Evandro: Acontece que quem faz isso acha que é bacana, ganhar elogios e até mesmo dinheiro com cópias, valendo-se do trabalho de outros. Não entendem que para compartilhar algo basta um link, não precisa copiar.

    Wallace: E como tem!

    É feio, é sacanagem, como eu disse: é filhadaputice. Mas tem filho da puta em tudo que e canto, né? Blé! 🙁

    Lu: Muito obrigada, amiga! Elogio vindo de você faz um bem especial pra o Egodzilla! 😛

    Iara: Não se pode resolver tudo, e menos ainda em questões complicadas como essas. Eu opto por simplesmente fazer o que é correto, SEMPRE. E dane-se se alguém achar que eu fiz algo errado – se eu fiz certo, tô nem aí com o que pensem ou digam.

    Para ter essa liberdade, me certifico de fazer certo. Sempre, sempre. E cabou-se.

    Sobre seu PS: Eu entro todos os dias em lugares assim – escritos por gente que fala que nem eu. Pois é, eu falo assim. Não em lugares formais, por exemplo – mas no cotidiano, entre amigos, eu falo assim. E até pior. 😉

    Leandro: Estive no seu blog, e vi que é uma coleção de notícias copiadas. Algumas tem fonte, outras não. Se você leu o post, SABE que está fazendo errado, o que espera que eu lhe diga?

    Se não quer ser plagiador, não plagie, oras. Se não quer ser um copiador FDP, não copie sem autorização.

    Se quer fazer direito, delete todas as cópias que fez, e pare de copiar. Escreva seus próprios textos, ou, no mínimo, faça citações, como eu expliquei no post. Dá trabalho? Sim. Mas é o único caminho correto.

  9. Morgan

    Acho piada nisso tudo, nós ouvimos música pirata, assistimos filmes piratas, pirateamos software, ebooks etc. Porem quando somos “roubados”, isto é, alguem copia nosso texto ficamos todo ofendido….

    É questão de consciência, uns tens outros não, uns usam software pirata, outros não…

    🙂

    E isso? É plágio?
    Original
    16 Adsense optimized WordPress themes to maximize your contextual Ad earnings

    Cópia
    Themes WordPress optimizadas para Google Adsense

    Abraços grandes

  10. Morgan: Concordo em partes. Eu acho que existem diferenças entre, por exemplo, ouvir música pirata, e vender discos piratas. E entre ouvir música pirata, e assumir a autoria do trabalho de outra pessoa. São só exemplos, e não estou dizendo que nenhuma dessas coisas é correta – simplesmente, digo que existem diferenças, e graus de erro.

    Sobre os textos, caracterizaria plágio sim (eu acho), pois pode-se ver que um texto foi baseado no outro, embora a tradução não seja literal nem integral. Eu entrei em contato com o autor, e ele me disse que foi um lapso – os créditos já foram colocados.

  11. O Informação Virtual faz parte dos blogs que permitem a reprodução de seu conteúdo (Copyleft), desde que citada a fonte com link, claro. Escolhi a licença Creative Commons “Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil”.Obviamente, textos e imagens de terceiros, usados no IV com autorização do autor, não fazem parte desta licença.
    Quero deixar claro que sou completamente contra o plágio também, embora já o tenha praticado, não por maldade, já que sempre citei a fonte com link, mas por desconhecimento das regras. Eu achava que o simples fato de citar a fonte e colocar um link para o original me dava o direito de copiar, errei, errei feio, mas aprendi.

  12. Rafael

    Estou pensando em criar um blog, e tenho duas dúvidas:
    I- Se eu por exemlpo vejo na TV, escuto no rádio, ou vejo em algum site uma notícia que eu acho que seria interessante para meus leitores.
    Uma vez lida a notícia, eu sei o q aconteceu e escrevo no meu blog com minhas palavras e minha opiniao.
    Isso é errado?

    II- Imagens. S eu pego uma imagem no google imagens e colo no0 blog. Errado?

    Obrigado!!
    Gostei MUITO do blog, tô lendo também o Be a blog e to gostando muito!!

  13. Olá! Só tenho uma dúvida…

    Tive um texto publicado num jornal daqui de Fortaleza e copiei esse texto pro blog. Isso é cópia não autorizada, mesmo que o texto original seja meu??

  14. Oi querida….
    Muito bom…gosto de poder ficar a vontade com os outros,e as vezes vem sim aquele sentimento safado de :porque não fui eu que tive essa ideia?????
    então a ideia de citação é boa,e como disse os amiguinhos acima…..todos nós blogueiros ganhamos!
    Brigadão…
    Voce é boa no que faz!
    beijos.

  15. Olá
    Sou artesã e mantenho um blog onde publico meus trabalhos, mas não comercializo.
    Vi um trabalho na internet e gostei, então fiz igual.
    Queria ter publicado a foto num album do Flikr, mas achei que deveria avisar a autora do trabalho.
    Quando avisei, ela publicou um manifesto e retirou as fotos do album dela.
    Fiquei muito chateada, pois já tinha colocado a postagem no meu blog, onde eu dava os créditos da criação a devida autora, dizendo que eu tinha apenas feito igual.
    Esse meu procedimento é plágio??? Ou melhor dizendo caracteriza como plágio ???
    Me senti muito mal…já criei outros artesanatos mas nesse caso eu apenas costurei a criação de outra pessoa…
    Obrigada se responder.
    Um abraço

  16. Deoclecio Santos de Araujo

    Olá, muito dez a matéria me esclareceu muito da próxima vez eu vou colocar nos textos copiados ( permitidos é claro) até o site , apesar de meus textos já vieram até com os sites de seus autores para poder consultar com eles depois,mas, de um modo geral, deve-se citar a fonte do texto, letra de musica, cifra ou outra obra sim, deve-se respeitar o direito do outro, para que sejamos respeitados também, pode ser nós amanhã, né? .Parabéns à todos os artistas é bom saber que suas obras nos inspiram, pela beleza de seus conteúdos, sucessos à todos….tchau!

  17. Pábula Thais

    Olá, se em um trabalho de revisão de literatura, eu copio e colo uma informação de um artigo científico, mas coloco a citadão indireta, poís fiz alguma modificação no texto. Isto é correto?

  18. Claudiomara

    Eu gostaria de saber em que parte nos textos da internet é que se procura a licença, onde se encontram a licença, como faço para conseguir acha-lá.

  19. Beatriz

    Oi, eu estou cursando o 9º ano do ensino fundamental e estou fazendo um trabalho sobre plágio, gostaria da sua permissão pra copiar alguns parágrafos desse post, com as suas devidas autorias. Eu usarei isso pra explicar o plágio e depois farei a minha própria conclusão sobre o assunto. Grata desde já, Beatriz

  20. Muito bom, o texto. Parabéns pelo blog!

  21. Gustavo

    Parabens pelo blogger vc nao tem ideia ,como tem me ajudado ,pois tenho um blogger e venho buscando esta correto de ante da lei ,pois as vezes por falta de informçoes claras como essas, que pessoas cometem atos desastrosos por nao saber, outras por ma fé fico grato por essas ricas informaçoes.
    O bloque esta de parabens ,continue neste objetivo informar,tem um pensamento Arabé que gosto “O homem que nao passa o que sabe e que nem nuvem que passa e nao traz chuva”
    Continue neste caminho muito bom.
    um forte amplexos!

  22. Marcos Bauermann

    Olá, estou querendo montar um blog, e suas dicas tem me aberto os olhos pra muitas coisas. No entanto, tenho uma dúvida. Gostaria de saber como fica por exemplo se eu plublicase um filme que eu baixei de outro blog. no caso eu teria que hospeda-lo e depois inserir o link, ou copiando esse link eu também estaria fazendo errado. Desculpe se eu fui muito ignorante em perguntar isso, sou recruta no assunto.

  23. Fiquei com uma dúvida. Ou muitas. Ao citar a fonte ou local onde a matéria pode ser lida, eu costumava colocar o link específico do artigo/matéria em questão. Li certa vez em um site o aviso: ‘coloque o link para minha página principal’. Buequei mais a respeito e vi que era o usual. MAS ainda fico com a dúvida sobre a melhor forma. Se eu coloco a home do outro site, o internauta pode não achar a matéria citada. Fica perdido, minha informação se torna vazia e o site referido não ganha nada com isso. Se coloco o link direto, a mim parece mais útil e uma maneira em que todos ganham. O internauta vai na matéria, lê e, se gostar do conteúdo, segue sua visita no site referido.
    Isso. Se puderes dar tua opinião, fico grato.
    Abraços,

  24. Nossa esse site é muito útil, valeu!
    Acabei de entrar na blogsfera e duvidas sobre tudo pululam na minha cabeça, no momento me atenho a direitos autorais. No caso de livros e DVDs, é plagio repassar o resumo da capa do livro ou filme como um complemento mais concreto quando você comenta sobre o mesmo, isso não seria mais propaganda do que plagio?
    A quem cito no caso de um filme a ser lançado? Tem site grande (não blog) por ai que descreve a sinopse, os personagens e atores sem nem link ou fonte para lugar algum.
    Espero não estar sendo idiota.

  25. Seu texto é muito objetivo, claro e exclarecedor. Posso copiar e mostrar ao meus alunos? Por mais que lhes explique tudo isso continuam achando que não vou descobrir os muitos plagios cotidianos.

  26. Vivian

    Oi Nosphie

    Um dos melhores artigos que li sobre o assunto – e olha que já ali alguns. Parabéns!

    Vivian

  27. Este é um dos melhores posts que já li sobre o assunto!
    Se puder, quando tiver um tempinho, fale sobre “copyleft”.
    Um abraço!

  28. Kyrla Albuquerque

    Olá gostaria de saber se cometi um erro, em um blog de uma profesora estava assim “ideias de projetos para minhas amigas professoras” e a ideia era muito boa resolvi aceitar com isso montei um projeto meu com minhas referencias e minhas citações ja que o tema havia feito parte da minha monografia, com isso ganhei até um premio pelos melhores projetos do ano em minha cidade, gostaria de saber se fiz certo ou fiz cagada?copiar a ideia é plagio ou delito?ou nenhuma das duas coisas? por favor responda preciso dormir!Como cito a ideia em meu trabalho? Abraços obrigada!

  29. Bem explicado o artigo! Só tem um pequeno detalhe constante na lei: é você(no caso quem se sente lesado)que tem que apresentar as provas, o famoso “ônus da prova”, uma vez que toda afirmação precisa se sustentar, pertence a quem acusa. Imagine que estou navegando por aí e dou de cara com um texto de minha autoria, descaradamente copiado, como vou provar que é meu? Isto sem falar no gasto financeiro, em um possível processo. Cópias na internet só será crime se a imagem ou artigo tiver direitos autorais e isso é pago, e caro. Enquanto não podemos pagar pela nossa segurança, teremos que amargar nosso prejuíso, ou sonhar com ética na internet. Parabéns pelo blog! Espero que ninguém te copie, e nem a mim…risos…

  30. Caraca, maluka! Adorei o teu jeito muito louco de explanar comentários e críticas. Putz grila, já sou teu fã e a partir de agora vou ter o prazer de visitar este site muito mais vezes. É diversão certa e aprendizado indubitável. Valeu, mermão, tu é “a” cara, Nospheratt. Uau! D+, mesmo. Valeu a minha pesquisa na madrugada.
    Mas, antes de finalizar, me diz uma coisa: como é que eu faço para obter permissão para publicar no You Tube um vídeo clip que eu fiz com a música love is not a fight? Será que pode dar algum galho? Porque o que eu fiz foi incluir imagens de família e a tradução da música sob a fantástica voz de Warren Barfield. Me dá uma dica, certo? E como eu vou publicar agorinha mesmo, que tal tu pasar por lá e dar uma sacada na minha idéia? É só procurar por Love is not a Fight (Tradução Nyll Mergello).

    Um beijão!

  31. Danilo Cattani

    Um blog, com a função de reproduzir notícias de um específico nicho. Como deve proceder? Pedri a autorização de todas as mídias?

  32. Parabéns. Excelente post.

  33. Ótimas dicas Nospheratt. Ficou tudo muito bem explicado.

  34. Atom Stark

    Nospheratt.
    Não entendi ainda o que há de errado em citar as fontes da pesquisa em que o autor se baseou para realizar suas postagens. No que trata de assuntos tecnológicos/atualidades e ciências não vejo o que há de errado nisso. afinal o autor não pode criar a não ser que tenha as informações necessárias sobre uma determinada inovação tecnológica por exemplo.

    • Não tem nada de errado com citar fontes de pesquisa, se você fez pesquisa. O que tá errado é copiar e colar o texto todo da fonte sem permissão e dar a entender que você acrescentou algo ao trabalho original, quando isso não é verdade.

      • Atmos Maciel

        Obrigado pela explicação, gostei e fiquei aliviado. Mas continuo cauteloso para não cometer erros. Obrigado mais uma vez a seus textos tem me ajudado muito.

  35. Obrigado por ter esclarecido minhas duvidas, é que eu queria colocar algumas páginas de um livro que eu gostei muito em meu blog talvez o livro todo…rsrs…obrigado!!!

  36. Sandro

    Oi, sou eu de novo!!! Vi que você não aceita comentários em caixa alta, portanto estou enviando novamente……
    Parabéns!!!! Ha tempos pesquiso sobre plágio e vc foi a autora q produziu o texto mais explicativo sobre o assunto. Muito bem detalhado! Sem deixar dúvidas! Tem que ser muito fdp pra não entender! (ou mal intencionado) hahahah……dei uma pesquisada e encontrei essa licença no seu blog:
    ” Você pode copiar um trecho do meu texto, creditando a fonte. Um trecho significa um parágrafo ou dois. Mais do que isso é violação de direitos autorais – mesmo que você credite a fonte.”
    Está de total concordância com a existência do botão “postar isso no blog”, criado pela google para uso no google chrome!!! Se isso fosse plágio, a google não teria criado!!! E tem muitos blogueiros por ae que afirmam de pés junto que isso é plágio!!! São uns “mente pequena e retrógrados”. O mundo evoluiu e eles ficaram parados na invenção da imprensa ainda!!!! Hehhhehehe…….a google é uma potencia justamente porque sabe de que forma fazer “propaganda” do material que tem. E, esse botãozinho, que aliás, é muito difícil encontrar algum blogueiro falando sobre ele, é a prova de que os textos devem ser citados e linkados na maior quantidade de blogs e sites possíveis, para sua maior divulgação! Grande abraço e votos de sucesso! Que sua mente seja cada vez aberta à evolução da internet!

  37. Najla

    Ola

    Gostei muito do seu exposto, muito esclarecedor.
    Gostaria de sua orientação:
    Copia de 1 cd do YouTube, sobre 1 tema de saúde, para ser exposto em aula teórica. Posso faze-lo?
    Aguardo, abraços.

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén|Social Icons by Freepik