Blogando com Alma... Ainda.

Você é Medíocre?

Encontrei este quote neste post: What’s Your Spotlight?

“Your playing small does not serve the world. There’s nothing enlightened about shrinking so that other people won’t feel insecure around you. We are all meant to shine…”

Marianne Williamson

Uma tradução mais ou menos: “Jogar pequeno” não é um serviço ao mundo. Não há nada iluminado sobre encolher-se para que outras pessoas não se sintam inseguras perto de você. Todos fomos destinados a brilhar.

Você é Medíocre?

Não sei se todos fomos destinados a brilhar, mas é claro que brilhar é oposto à ser medíocre. Medíocre, segundo o dicionário, é “mediano; sofrível; insignificante”.

No meu dicionário, medíocre é não só fazer o mesmo que todo mundo faz, mas também fazer sempre o mesmo que você mesmo faz. É se acomodar, estagnar, se conformar com o que tem e ficar esperando que as coisas melhorem magicamente. Ou não.

Estou falando de blogs, é claro.

  1. Você escreve sobre bundas, Playboy, mulher fruta e afins irrelevantes?
  2. Você só reverbera o que outros dizem?
  3. Você copia conteúdo (com créditos ou não)?
  4. Você escreve as mesmas coisas o tempo todo?
  5. Você se queixa, mas não procura soluções?
  6. Você nunca questiona o que faz, o que escreve?
  7. Você nunca parou para pensar em como você pode crescer?
  8. Você nunca parou para pensar em como pode fazer alguma diferença no mundo que o rodeia?

Se você respondeu sim a qualquer dessas perguntas, cuidado. São sinais estrondosos de mediocridade. Porque:

  1. Escrever sobre esse tipo de coisa quase sempre tem como motivação ganhar dinheiro fácil. Coisa de quem procura a saída mais fácil (e geralmente vergonhosa). Eu NUNCA vi ninguém dizer que escreve sobre essas m*rdas porque gosta.
  2. Falta de criatividade, e de disposição para colocar o cerebrinho para funcionar.
  3. Sem comentários.
  4. Quase todo blogueiro eventualmente vai voltar aos mesmos tópicos, por diferentes razões. Isso não é o mesmo que falar a mesma coisa o tempo inteiro. Se você só repete as mesmas coisas, você está estagnado em um ponto, não está crescendo nem evoluindo.
  5. Queixar-se, reclamar, é fácil. Mas se a queixa não vem acompanhada de alguma ação que vise uma solução, estamos diante de masturbação mental.
  6. Quem tem certeza de tudo, costuma estar errado. Questionar-se faz parte do processo de crescimento; é imprescindível duvidar de vez em quando, parar para ver se estamos no caminho certo, corrigir o rumo, fazer melhor.
  7. Se você não pensa em como pode crescer (em todos os sentidos, não só em números), dificilmente vai crescer, pois vai fazer sempre as mesmas coisas e obter os mesmos resultados. Se você acha que isso não é necessário, você não está prestando atenção.
  8. Se você acha que não precisa, não tem porque ou como fazer alguma diferença no mundo que o rodeia, você é medíocre. Simples assim.

Estar estagnado, trancado, sem saber que direção seguir ou qual ação empreender é normal, inevitável em algum ponto. Ficar nisso, não fazer nada a respeito, e achar que está tudo certo, que as coisas são assim mesmo, é mediocridade.

A mediocridade é o caminho mais fácil, claro está. E é um fantasma que assombra a todos nós, sempre. Muitas vezes caímos nessa vala sem nem ao menos perceber, por cansaço, rotina, desilusão, comodismo – e por isso se questionar é importante.

A solução? Além do questionamento, da auto-análise rigorosa e regular, é ESFORÇO. Trabalho duro. Mais sobre isso, no próximo post. 😉

PS – Agora que você já leu este post, dê uma espiada nas Novidades no Deusario, Projeto Deusas e Revista Deusas.

Nospheratt, pensando na vida

Nospheratt

Quando eu cheguei (2006 - primeira era jurássica da Efigênia), isso aqui tudo ainda era mato.

Previous

Zoundry – Top 10 Ferramentas Para Blogar

Next

Não Precisa Me Dizer, Eu já Sei

21 Comments

  1. Bem finalizado o texto: “(a mediocridade) é um fantasma que assombra a todos nós”. Ao mesmo tempo em que luto todos os dias para ganhar um lugar ao sol, não me desvencilho da sensação da mediocridade. Mas então o desanimo passa, olho para os lados e não vejo outra alternativa melhor do que CONTINUAR. Porque desistir seria a mediocridade maior.

  2. Eduardo de Bastiani

    Nospheratt, só tenho a dizer.. Parabéns! Clap Clap Clap. Post excelente. Inclusive eu estou preparando um parecido para meu blog, sobre a mediocridade, e esse chegou na hora certa, com certeza será linkado.

    Eu estou defendendo a teoria de que não se pode escrever num estilo igual a todos. É preciso dar vida aos posts, colocar imagens, exemplos, links, pesquisas, conversar com o leitor, usar humor, dinamismo, interação. Se não, o post será mais um no meio de milhões da blogosfera. E como você disse, todos fomos feitos para brilhar; não há motivo para ser assim. Antes qualidade do que quantidade.

    Abraço!

  3. Se for ver pelas perguntas acima, eu não sou medíocre. Mas mesmo assim sinto que eu poderia fazer um pouco mais… =/

    Valeu pelo ótimo post, me deixou querendo refletir mais sobre o assunto =]

  4. voltou com chave de ouro, Nosphie. Taí um post que todo mundo tem que ler, guardar no evernote etc. Porque no fim das contas se a mediocridade é um fantasma, o mundo tende a querer mais do mesmo – e a gente tá cansada de ver mais do mesmo por aí…
    E criar língua própria, cá entre nós, não é algo que se construa de um dia para o outro. Há que cansar os dedinhos – e usar bem os neurônios.. 😀
    vai pro achados JÁ
    beijo gigante

  5. Já fiz isso de me encolher para as pessoas não se sentirem inseguras junto de mim. Por melhres que fossem minhas intenções, era uma agressão a mim mesma e eu percebi isso a tempo. Hoje, decidi jamais me esconder. Acredito que esteja conseguindo.

    Ótimas dicas, Nosphie. Beijos!

  6. Pois é. Exatamente por isso temos que estar sempre vigilantes para afastar esse fantasma. Ele é tão esperto que chega sem avisar e se insinua silenciosamente em nossas mentes. Quando a gente vê; já era. (rs)

  7. Penso a mesma coisa.

    Aliás, há anos vejo blogueiros batendo nessa tecla – inclusive eu. – e vejo a blogosfera piorar.

    Triste… Mas as pessoas em geral ainda seguem um item 9, ausente:
    9- Você ignora postagens com dicas e críticas sobre qualidade x quantidade.

    Prefiro ter apenas um leitor, mas um leitor relevante, do que uma série de visitas inúteis e sem nada a acrescentar.

  8. Estar estagnado, trancado, sem saber que direção seguir ou qual ação empreender é normal, inevitável em algum ponto. Ficar nisso, não fazer nada a respeito, e achar que está tudo certo, que as coisas são assim mesmo, é mediocridade.

    É aquela história que falamos uma vez, o povo cresce vendo m****, se acostuma e não conhece outra coisa. O negócio é quebrar o ciclo e não ser levado pela onda.

  9. Concerteza é um ótimo post para reflexão pois no passado era acomodado,mais como tinha curiosidade para aprender muitas coisas relacionadas a informática não tive alternativa se não estudar muito e continuar estudando,O alan do anlalise blogueira que indicou este blog e apesar da pouca idade parece ser um de seus discipulos!rsrsrs

  10. Entrei em plena reflexão quando acabei de ler este post. As pessoas tem que ser mais originais a criar coisas mais relevantes. Chega de mesmice.

  11. Eduardo

    Olá, Nosphe.

    Teu post me fez lembrar do platonico ‘Mito da caverna’.

    Parabéns.

  12. Verdade, tenho de assumir minha mediocridade. Meu blog não é lá essas coisas e consegue ser mais míope que o dono. Leio muito sobre referências de como se tornar um blogueiro com “relevância” e os autores sempre dão dicas como assiduidade (frequência de posts), pesquisa, qualidade e identificação com o assunto abordado no blog. É a fórmula do sucesso.

  13. Muito bem, dos fracos não reza a história, há que ser mais ambicioso e original.

  14. Sim, sou mediocre, porque não consigo escrever de forma simpática, embora nao copie e nem cometa alguma outra gafe…

    Minha mediocridade vem naturalmente =D

  15. Vivi

    Adorei o texto, explica muito bem e ajuda a auto-análise, adorei obg.

  16. Depois de ler o texto, confesso que fiquei sem palavras. Eu sou profissional de ensino na área de Ciências Biológicas e no início da minha carreira há mais de 10 anos (precisamente em 1992), eu nem sabia ligar o estabilizador (na verdade, eu perguntava “o que é um estabilizador?” rsrs). Na sala de aula era a mesma coisa: eu ficava super perdido mais do que um náufrago. Como marinheiro de primeira viagem, nem sabia passar os conteúdos direito. Então, depois de muita prática, dedicação, não me contentando, fui me desembaraçando até chegar a um nível de já ter muitas respostas na ponta da língua na minha área.

    Conforme eu lia o texto, eu voltava ao passado e me via como um medíocre, não suportando essa situação na época.

    E como até hoje valorizo a leitura, além de gostar de falar com as pessoas sobre qualidade de vida e ensino, fico profundamente triste ver muitas pessoas rejeitar a leitura, principalmente os estudantes que vão prestar vestibular e outros concursos

    Na escola, sempre converso com os alunos que é melhor saber um assunto pelo simples prazer de saber, do que estudar somente para fazer uma prova e depois esquecer tudo o que aprendeu. Apesar de pouquíssimos seguir a minha ideia, não desisto jamais desse meu modo de pensar.

    Nos blogs é a mesma coisa: muitos usuários não têm criatividade, não se esforçam e querem apenas criar o blog por causa do prêmio e não pelo prazer de postar, compartilhar conteúdos que podem ajudar muita gente.

  17. Eu sou medíocre, pois escrevo a minha opinião acerca das coisas, sem nenhum polimento, e essa sinceridade total, sem fingimentos, leva mais pessoas a não gostar de mim do que a gostar. Afinal a minha opinião não é uma regra, e consigo compreender que uns vão achar irrelevante, outros vão me odiar…sinceramente não ligo para o que os demais vão pensar, e ainda ouso esperar destes um mínimo de respeito, e isso é o que me torna medíocre.
    Atire a primeira pedra quem não é medíocre em algo nessa vida.

  18. J R

    Entrei nessa página por acaso, e voalá! Uma pérola!
    “Poxa vida”, muito bom, vamos arregaçar as mangas e deixar de ser otário, opa, medíocre! Criticar a si mesmo e estar disposto a fazer as alterações necessárias é sem dúvida razoável, mas tornar isso um padrão de automelhoramento(essa palavra nem existe, né?) contínuo é uma graça!

  19. luiz Carlos de melo junior

    não sou blogueiro nem tenho nenhuma ligação com a net, a não ser pesquisas esporádicas e foi assim que cai no site, o qual agora parabenizo. A questão não é se somos medíocres em alguns momentos da vida, mais se o somos na maior parte dela. Não sou contra que se assista, ou até mesmo se vote no BBB, porém ficar viciado, vidrado, ansioso pelo dia seguinte. Isso sim é o cumulo da mediocridade. Temos que assistir, blogar, orkutar, ler, torcer pelo time, ser fã…etc sempre com senso crítico e valorizando a nossa pessoa acima de tudo. Sempre se perguntar: esse cantor merece mesmo que eu saia de casa, pague caro e enfrente essa fila danada para vê-lo?
    Se você deseja ter algo que nunca têve, comece fazendo algu que nunca fez (chico xavier)
    parabén pelo blog

  20. Interessante ler seu post. Curiosamente pesquisava na net sobre MEDIOCRIDADE e caí no seu blog, pois estou produzindo um artigo dentro desse tema, voltado à negócios. Certamente me trouxe alguns insights interessantes que vou aproveitar. Semana que vem deve estar no ar. Obrigado, Anderson

  21. Felipe Prestes

    Nada mais que a verdade
    Apenas quem tem coragem para assumir que está errado,que deve ser diferente
    tem algo de bom a esperar em seu futuro

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén|Social Icons by Freepik