Blogando com Alma... Ainda.

Os Bloghits e a Mortalidade do Caranguejo Blogosférico

Os Bloghits e a Mortalidade do Caranguejo Blogosférico

Em primeiro lugar, quero parabenizar os criadores do Super Trunfo, das Blogurinhas, dos Tazos, do Deskblog, do mapa e seu verso, e de quaisquer iniciativas semelhantes que eu porventura desconheça ou tenha esquecido. Vou incluir aí Se a blogosfera brasileira fosse uma aldeia de 100 habitantes, do Malvados. Parabéns pela criatividade, pela subjetividade assumida, pela paciência e pelo trabalho.

Essa iniciativas forma batizadas de bloghits pelo Rafa – Considerações sobre os bloghits e a egosfera – e eu adotei o termo. Aproveite e leia o texto, recomendo.

Todas essas idéias são divertidas, criativas. Algumas se inspiraram nas outras, e estou certa de que outras virão por aí. E isso é bom. Entre as coisas que a Efigênia (já tá na hora de colocar esse termo na Wikipédia, vocês não acham? :P) mais está precisando, se contam originalidade, criatividade, bom humor.

No entanto, e como era de se esperar, já surgiram críticas e reclamações. Francamente, eu não entendo. Tem tanta coisa que realmente amerita críticas, e pessoal gasta Latim criticando álbum de figurinhas??

O princípio parece ser o seguinte: se faz sucesso, SOY CONTRA. A menos que eu tenha inventado o projeto bem sucedido, é claro. As críticas vão desde o “Pra que serve isso? É inútil!” até “Hunf, a mesma panelinha de sempre”, passando por “Ridículo, isso é estratégia para caçar links.”

Ai meus sais.

Qualquer dia vou colocar um colchão no teto aqui, tal qual o Tio Patinhas costumava ter em seu escritório. Vejamos:

Utilidade: Talvez eu seja meio alienada, mas acredito que nem tudo precisa ser útil nessa vida. A beleza e a cerveja não têm nenhuma utilidade prática, e no entanto são duas coisas muito bem valorizadas em qualquer sociedade.

Panelas, panelinhas e panelões: Objeto culinário transformado em argumento/desculpa multi-uso. Um dos primeiros e melhores textos que eu li no Contraditorium foi A Panela Existe, Mas a Tampa Está Aberta. O artigo tem mais de um ano, mas continua válido.

Caçar links: O novo pecado. Sinto informar, mas “caçar links” ou “link baiting” é uma estratégia completamente válida para alavancar o crescimento de um blog, principalmente se for bem feito.

Uma discussão sobre o assunto foi levantada na Lista Blogosfera: Polêmica: meu umbiguinho e a blogosfera… Segue aqui minha contribuição opiniológica, minimamente editada para adequá-la ao formato de post. A versão original pode ser encontrada no link acima, junto com o resto das mensagens, naturalmente.

___________________________________

Vocês estão procurando cabelo em ovo. As Blogurinhas e semelhantes, são brincadeiras legais, criativas, divertidas, e só. Só interessam para os blogueiros? E daí? Vão ficar “queimadas” pela repetição ou replicação? E daí? Problema de quem criou os “bloghits”, como estão chamando agora essas iniciativas.

É estratégia para atrair links ou “agradar os listados”? E DAÍ? O pessoal está levando os blogs, e a blogosfera, demasiado à sério. Eu apareci em alguns desses, em outros não, nada disso mudou minha vida, nem o que acho dos meus blogs ou das iniciativas em questão.

A questão de “quem é seu público” e “para quem você escreve” é extremamente válida e relevante, mas não tem absolutamente nada à ver com os bloghits. Se o autor de um blog quer público de fora da blogosfera, vai ter que escrever para esse público – simples assim. Escrever sobre blogs e assuntos relacionados é outra opção – eu mesma o faço – e essa opção tem um público mais restrito. É questão de escolha pessoal, cada um escreve para o público que quiser e pronto.

Pelo amor de Deus, gente, o blog de cada um é problema de cada um. Não adianta querer levar a “blogosfera” por este caminho ou por aquele outro, direcioná-la para um público fora ou dentro dela, padronizar e etc. Nenhum debate, discussão ou campanha vai conseguir fazer isso, porque somos muitos, e somos todos diferentes. Tudo isso é masturbação intelectual, não leva a lugar nenhum.

Porque em vez de reclamar não se criam coisas diferentes? Será que porque não é tão fácil? É fácil falar da “elite”, mas a verdade é que muito poucos membros dessa elite não chegaram lá por esforço e mérito próprio. Fama não cai do céu, respeito tampouco. A gente tem mais é que se espelhar neles, aprender com eles, procurar uma voz própria, escrever algo de relevante (seja para os blogueiros, seja para paraquedistas ou público geral) e tentar chegar lá. E parar de reclamar!

Quem tem razão é o Manoel. Se mais tempo fosse gasto em gerar conteúdo e menos em reclamações, críticas mesquinhas e punhetações do estilo, haveriam mais blogs de “elite”. Eu vou seguir o conselho dele. Aliás, eu tenho evitado me meter em polêmicas, mas não aguento mais ver o povo filosofando sobre a mortalidade do caranguejo blogosférico e criticando tudo o que faz sucesso.

Fui.


Technorati : , , , , , ,

Nospheratt, pensando na vida

Nospheratt

Quando eu cheguei (2006 - primeira era jurássica da Efigênia), isso aqui tudo ainda era mato.

Previous

12 Soluções Criativas Para Utilizar Melhor Seu Footer

Next

Blogger Peppers?! Faltar ao Trabalho Dá Nisso…

8 Comments

  1. Sampson Moreira

    Este é daqueles posts difíceis de se comentar. Eu não tenho como incluir uma linha sequer. PERFEITO! Disse tudo. Parabéns!

  2. Kabella

    é.. malvados é a tirinha multimilionária do Dahmer.. eu sou só o maldito 🙂

  3. Jonny

    O impressionante foi a qualidade do trabalho do Sampson ao fazer as “blogurinhas”! As pessoas podem até questionar a finalidade, mas tem que concordar que a execução do trabalho foi nota 1000!Daqui a pouco alguém vai querer fundar um Conselho Regional, um Sindicato ou uma Ordem dos Blogueiros do Brasil, delegando deveres e funções para um site na internet ser considerado um blog!!!

  4. Erica - TemplatesForYou

    ué…pensei que eu havia postado aqui?Bom, achei esse post ótimo!havia implementado essa idéia lá no meu blog pessoal (quando ele estava ainda no blogger), como mudei pro WP e o tema, preciso refazer o footer..e preciso criar coragem para implementar no meu blog de templates.Enviei essa notícia lá pro rec6, afinal, essa dica merece ser lida!Abraços!

  5. Erica - TemplatesForYou

    comentário no post errado…afff!era prá ter comentado no post do footer, por isso não o achei aqui.Abraços (e desculpe-me 😛 )

  6. Arthurius Maximus

    Também acho isso um falatório infantil. As figurinha ficaram show. Serve pra que? Ora, para que servem figurinhas? Para divertir. Olha que eu nem estou lá. Mas e daí? O grande problema é, como você citou, o “umbiguismo” do pessoal.

  7. Luis Santos

    Aloha Nospheratti!Novamente o problema de base: motivos.Por que alguém está escrevendo?Algumas pessoas são interessantes, outras nem tanto e outras defintivamente não.Alguns tem o dom, alguns tem talento, alguns tem capacidade e outros resmungam e reclamam.Para esses o melhor é chorar na cama, que é lugar quentinho.Se quer ser profissional, evite o lado pessoal, o que não quer dizer que não existe vida pessoal. Alguns se imaginam especiais e reclamam porque as pessoas apenas percebem o lado comum, que compreende uns 99,9% deles.Valeu e Aloha!

  8. Ivo Neuman

    Nosph.. e eu vou dizer o quê?Queri que rolasse um filtro no TRETA que impedisse “leitores de cabeçalho” de acessarem o box de comentários.Em tempos de apedrejamentos à minha pessoa, fico feliz de encontrar outros blogueiros que falam a minha língua.Beijão!

1 Pingback

  1. Dois Anos Atrás…

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén|Social Icons by Freepik