Blogando com Alma... Ainda.

Conversando Com Dragões

Dragão, dragão.
Ó dragão.
Guardião dessa porta que me espera.

O dragão é essa sensação de aperto na boca do estômago. É o flinch. É a vontade de se encolher, correr, esconder-se debaixo da mesa.

De olhar para o outro lado e fazer de conta que não estou aqui.

O Olho do Dragão

É essa coisa que gera uma urgência instântanea de fazer outra coisa, qualquer outra coisa.

É “não vai dar certo.” É “ninguém vai se interessar por isso.” É “vão rir de mim.” “Ninguém vai entender.” “O que os outros vão pensar?” E pior: “O que vão dizer?

Mas sobretudo, é a dor na boca do estômago que surge quando você pensa no que está do outro lado da porta: seu projeto, seu sonho, sua idéia, sua esperança.

Quando você sente isso, está diante de um dos seus dragões.

E precisa conversar com ele.

Pequeno Questionário Para Dragões

Essa conversa pode ser tão racional e analítica como quiser, ou tão fantasiosa e criativa como preferir.

Eu gosto mais da aproximação criativa porque é mais fácil não sentir medo quando estamos brincando de faz-de-conta. 😉

Um bom começo é fazer as seguintes perguntas:

  • Qual é seu nome? (Medo de quê?)
  • O que você quer? (Qual é a função desse medo? Evitar o quê?)
  • O que eu posso te oferecer? (O que posso fazer para minimizar o medo ou acabar com ele?)
  • Como podemos trabalhar juntos? (O que posso aprender de útil com esse medo, o que pode me ajudar a crescer/agir/fazer o que quero fazer?)

Você pode fazer todas elas, algumas ou nenhuma, claro. Pode inventar suas próprias perguntas ou qualquer outro jeito de “dialogar” com seu dragão.

Leve em conta que há dragões mais assustadores e perigosos que outros. Vá com calma e respeite seus limites, sem desistir e sem se deixar convencer por eles. 😉

Mas procure conhecer seus dragões, e saber seus nomes. Quanto mais você conversar com eles, mais fácil será vencer as batalhas que escolher lutar. 🙂

Image: Mohammed Alnaser – CC

Nospheratt, pensando na vida

Nospheratt

Quando eu cheguei (2006 - primeira era jurássica da Efigênia), isso aqui tudo ainda era mato.

Previous

O Nome do Dragão

Next

Acabe Com o Bloqueio de Escritor De Uma Vez Por Todas (E Livre-se da Falta de Assunto e a Mesmice Também)

3 Comments

  1. Tô adorando essa série sobre os Dragões, está muito boa mesmo.
    E adorei a capa que você me mandou!
    Muito bacana, eu respondi seu email !
    Bjinhos!

  2. Mari

    Poético, prático, curador. Lindo post *.*

  3. Ana Luisa

    Adorei o post…a foto é assustadora…rs

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén|Social Icons by Freepik