Blogando com Alma... Ainda.

Como Lidar com Conflitos na Blogosfera

O vexame fiasco caso da tal campanha contra o plágio me deu em quê pensar. Caso você não saiba do que estou falando, leia os detalhes aqui: Campanha Pela Revogação da Lei da Gravidade

Então. No momento, o tal do Leia-me não existe mais. O blog do Inexistent Man continua fora do ar, espero que ele volte em breve. No entanto, não vim aqui pra falar do caso em si – o qual já foi debatido e explicado em vários lugares, é só seguir os links e os comentários do post do Noronha – mas para falar de conflitos em geral, dentro da Blogosfera.

Você é feio, chato e bobo!

Como Lidar com Conflitos na Blogosfera

É inevitável. Num espaço coletivo onde todo mundo pode dizer o que quiser, e as pessoas que falam são isso, pessoas (com idéias, opiniões, gostos e vivências variados e heterogêneos) sempre vão existir conflitos, desacordos, brigas. Errar é humano, e aparentemente brigar é mais humano ainda.

A questão é: como administrar esses conflitos, da melhor maneira possível, sem enfiar os pés pelas mãos?

Atenção: o que se segue são dicas nascidas da minha experiência própria, e da observação. Não constituem verdade revelada por arbustos em chama, nem perfazem um método infalível. Excetuando-se, talvez, o ponto número 1.

Vale à pena discutir?

Antes de mais nada, uma distinção. Nem sempre vale à pena entrar numa briga, por maior que seja a provocação ou a ofensa. Se for simplesmente para bater-boca, revidar ofensa com ofensa, acalmar seu ego ferido ou mostrar que você é fodão, melhor deixar pra lá.

Na verdade, na maioria dos casos é mais sábio e produtivo ignorar os ataques. Você terá que usar de bom senso para saber quando responder e quando ignorar. De modo geral, só vale à pena discutir, se você tiver algo de produtivo ou útil a dizer.

6 Passos Para Acabar com o Conflito

1 – Respire fundo

Como Lidar com Conflitos na BlogosferaEntão, você achou um texto esculachando sua pessoa.

Provocando, ofendendo, chamando para briga, acusando-o de alguma coisa, seja lá o que for.

Primeiro:

NÃO FAÇA NADA.

Releia o texto duas ou três vezes, certifique-se de que entendeu bem o que está escrito.

Depois disso, espere no mínimo 24 horas (eu espero 48hs) antes de tomar uma atitude. Esse período de espera serve para várias coisas: esfriar a cabeça, ganhar claridade, evitar ações impensadas das quais vai se arrepender depois, observar o desenrolar dos acontecimentos. Enquanto espera…

2 – Analise sua postura

Reveja seu posicionamento. Tem certeza de que você tem razão? Talvez a outra pessoa esteja certa em algum ponto, mas se expressou de forma grosseira e ofensiva. Talvez ela tenha razão em tudo, e você é quem está errado – mesmo que sem má intenção. Pode ter havido um mal entendido, erros de julgamento, etc.

Analise tudo cuidadosa e objetivamente, para saber exatamente onde está pisando. E só então decida o quê, como e quando fazer.

3 – Reúna provas e argumentos

Se existem acusações ou mal-entendidos, dê-se ao trabalho de reunir provas, fatos e argumentos que sustentem sua postura. Links, comentários, screen shots, datas, testemunhos, fotos, documentos, qualquer coisa pertinente.

Evite ao máximo publicar trocas de email ou mensagens privadas, exceto em dois casos: se você conta com a permissão da outra pessoa, ou as mensagens foram trocadas em público – listas de email ou fóruns, por exemplo. Lembre-se: publicar correspondência particular além de ser crime, é muito feio.

4 – Mantenha a compostura

Resista sempre à tentação de baixar o nível.

Não ofenda o outro, não minta, não tente parecer melhor do que é – se você errou, admita o erro com humildade e honestidade, peça as desculpas cabíveis.

Não entre em bate-boca ou em disque-me-disse.

Não faça ou escreva nada de cabeça quente – ou certamente se arrependerá depois.

5 – Diga o que tem a dizer

Chegada a hora de falar, fale. Escreva seu post, deixe seu comentário, envie seu email. Seja sucinto e conciso, procure ater-se aos fatos, e não diga nada que não seja verdade. Use as provas e argumentos que você reuniu, para explicar claramente o que houve.

Diga tudo o que tem a dizer (evite deixar cabos soltos ou guardar argumentos para mais tarde), mantendo sempre a lisura e a compostura. Seja coerente. Não diga coisas que não irá cumprir, não seja melodramático nem pose de vítima. Este é o momento de mostrar quem você é, e de que está feito. Aqui é onde devem brilhar sua integridade, honestidade, humildade, e qualquer outra “dade” da qual você se orgulha.

Depois de escrever, deixe o texto descansar. Vá fazer outras coisas, e volte mais tarde (se for no outro dia, tanto melhor) para reler o que escreveu. Certifique-se de que se expressou correta e claramente, corrija algum erro que encontre, elimine o que for desnecessário – e só então publique ou envie.

6 – Dê o assunto por encerrado

Deixe o assunto morrer aí. Se você seguiu os passos anteriores, seu “oponente” não deveria ter nada de produtivo para dizer em resposta. Repito: não entre em bate-boca. De nenhuma espécie. Não deixe que o conflito vire um duelo de posts.

Considerações Adicionais

Como Lidar com Conflitos na Blogosfera– Tudo isso dá trabalho e leva tempo. Se o problema em questão não vale o esforço, não deveria receber atenção alguma de sua parte.

– Um texto desse tipo de certa forma “suja” seu blog. Dificilmente será de interesse de seus leitores – evite ao máximo publicar coisas assim. Só o faça em caso absolutamente necessário.

– Jamais ataque a outra pessoa, por mais escrota que ela seja ou pareça ser. Agir como um imbecil vai prejudicar muito mais sua reputação, credibilidade e imagem, do que qualquer coisa que possa ser dita por outros.

– Você não será o primeiro nem o último a enfrentar ataques ou desacordos na Efigênia. Não entre em pânico nem deixe-se levar pelas emoções.

– Pense nas consequências de suas ações a longo prazo. Procure agir de forma que ao olhar para trás dentro de um ano, 2 ou 5, você sinta orgulho de seu comportamento.

– Um confronto pode ser uma oportunidade para se fortalecer e ganhar leitores, ou para dar-se um tiro no pé (ou na cabeça, dependendo do caso). A decisão é sua.

Photo credits: Heilig Szabolcs

Technorati : , , , ,

Nospheratt, pensando na vida

Nospheratt

Quando eu cheguei (2006 - primeira era jurássica da Efigênia), isso aqui tudo ainda era mato.

Previous

Meus Musos da Campus Party – E Duas Deusas

Next

Blogais – A Coluna Social da Blogosfera Está de Volta – 3º Edição

37 Comments

  1. Nota 10 para a colocação das fotos!!! Bem ilustrativas!!! 🙂

    O mais importante de toda discussão é saber separar as idéias e as pessoas.

    Você discordar de uma idéia da pessoa não torna a pessoa uma inimiga! (Obviamente sem contar algumas opiniões “hediondas”…).

  2. Olá, que bom ver seus artigos de volta! Eu participei dessa campanha da mesma forma que participei de outras como a do Treta por exemplo, deixei um banner do Treta lá por um tempão. Nesse caso em questão a coisa foi tão rápida que para entender o que aconteceu tive que seguir links e mais links… que fazer não é?

  3. Muito bom! Adorei as dicas e sei que deveria tê-las seguido anteriormente… Enfim, nunca precisei discutir com ninguém, mas se precisar pelo menos agora eu tenho como me “defender” melhor!

    Valeu Nospheratt!

    Beijão!

  4. Olá Nosp
    Eu acompanhei de perto essa briga, pois sou amigo do Carlos, do extinto Leia-me.
    Olha, eu ia falar pra ele algumas coisas que você citou aqui, mas não tive tempo pois ele excluiu o blog.
    Porque não há nada melhor do que contar até 10.

    Você está certa. A gente não deve dar importância para essas pequenas coisas, como o Carlos fez. Ele deu o tiro na sua cabeça.

    E como sempre um belo artigo.
    Abraços

  5. Achei muito bom o texto. Acho até que o ‘blogsfera’ do titulo tá sobrando, já que essas dicas valem pra vida em geral, não só pra esta esfera.

  6. Excelente o primeiro passo. Acaba com qualquer discussão na raiz em 95% dos casos. Só se deve entrar em discussões em que os dois lados concordem. No mais, na maior parte das vezes, é uma imensa perda de tempo e, principalmente, de energia que deveria ser usada para atividades criativas, namorar ou outra coisa ainda mais agradável.

    Os passos seguintes são bons também. Mas quero enfatizar a importância do primeiro.

    Quando eu escrever sobre esse assunto, certamente este post servirá como referência.

    Stumblei.

    Beijos!

  7. Ramon Santana

    Excelente Nospheratt, falou tudo!
    Muitas pessoas acabam se “auto-prejudicando”, quando alguns “elementos” fazem uma critica, sendo ela construtiva ou não. Na maioria das vezes, sendo uma critica, vamos dizer maldosa, a pessoa acaba perdendo a cabeça e agindo sem pensar, e uma coisa que você disse que realmente é verdade é não agir de cabeça quente(meu pai sempre me fala isso, e paizão :P), pois você acaba fazendo merd@ e prejudicando sua reputação. E o texto pode se resumir no seguinte:
    Acalme-se, pense e aja!

    Parabéns pelo artigo Nospheratt,
    abraços

  8. É o primeiro post sobre este episódio lamentável que valeu à pena ler. Concordo absolutamente com cada palavra. Abraço

  9. Você ainda tem alguma dúvida quando dizem que parece que você escreve exclusivamente para quem lê?

    Tinha um post preparado para arrebentar com um idiota (daqueles que você me avisou que apareceriam), mas depois de ler seu texto, apaguei o post, pois percebi que o imbecil não vale o espaço que vai ocupar no meu blog.

    Mais uma vez obrigado, MUITO OBRIGADO! Por sempre dizer a coisa certa na hora certa (ainda que você não saiba disso).

    Valeu menina nota 1000!

  10. Resumindo: Tenha bom senso, pense antes de falar e certifique-se de tudo.
    Excelentes conselhos, Nospheratt.

  11. Até que enfim o bom-senso apareceu nessa história! Também participei da campanha e tirei minhas lições do ocorrido, antes de acontecer comigo algo do gênero! Pensei em postar a respeito e acabei desistindo, achei que não valia a pena insistir nisso.

    O Emilio está coberto de razão. Essas dicas valem para todas as áreas, do casamento às relações diplomáticas. Então que tal acrescentar “… e outros lugares e situações” ao título?

  12. Nospheratt

    Jonny: Uai, very gracias! 🙂

    É, cê tem razão, mas as vezes é beeem difícil fazer isso, para bem e para mal… mas pior ainda em se tratando de pessoas escrotas e hediodas, né não?

    Evandro: 🙂 Pois é, foi realmente lamentável… e pior que muita gente, como você, foi afetada sem ter nada a ver, na realidade.

    Kaka: Que sorte a sua! Espero que você nunca precise usar estes conselhos… Infelizmente, isso é improvável para quem vai permanecer na web pelos próximos anos. 🙁

    Enfim, pelo menos é bom contar com um “manualzinho”, com estratégias que já deram certo no passado, né? De nada! Beijo! ^^

    Felipe: Realmente, não há. Contar até 10 possibilita um monte de coisas, inclusive nos permite ver como emendar erros, quando os cometemos. Agir precipitadamente é uma merda, como você acaba de exemplificar.

    Enfim, as coisas são como são, e o que a gente precisa é aprender com os erros, próprios e alheios.

    Obrigada! 🙂

    Emilio: Mmm cê tem razão! valeu pelo apoio, viu? ^^

    Alessandro: Pues si, você tem razão (como quase sempre :D). Caso é, que as vezes, só as vezes, não dá para não se pronunciar sobre um assunto.

    claro que esses casos são exceções. Há que se saber diferenciar. A verdade é, que como você bem diz, o 1º passo costuma resolver, por si só, o problema – de uma forma ou de outra.

    Os passos restantes estão pensados para as exceções. 😉

    Muuuito obrigada pelo apoio, ele é extremamente valioso pra mim – bem como sua opinião. beijão! 🙂

    Ramon: Obrigada! 🙂 Viu, seu pai tá coberto de razão!

    É preciso saber lidar com críticas, pois ela inevitavelmente virão, acompanhadas de razão e educação ou não. Se a gente não souber lidar com elas, elas nos destruirão. É isso aí!

    Ariane: Muito obrigada! Era o que eu queria mesmo, fazer algo de positivo. Abraço! 🙂

    Tico: Bem, amigo, caso você não ainda saiba, eu sou pitonisa! 😛

    Fico imensamente feliz de ter te ajudado a evitar se embarrar, por um imbecil qualquer. Sincronicidade, é o nome disso.

    Valeu digo eu, você é muito legal comigo! Beijo! 🙂

    Enio: É por aí mesmo. Se todo mundo fizesse isso, seria um mundo melhor, não? 🙂

    Ronaldo: Nossa, obrigada! 🙂

    Eu não tinha pensado nisso, vocês têm razão. Mas não vou mudar o título por causa do permalink, já está indexado e eu não gosto de mexer nisso… mas agradeço muito a sugestão! Obrigada! 🙂

  13. Kibando o que alguém disse aí em cima, o ideal é ter bom senso.

    Abraços.

  14. Na verdade Nospheratt nem me senti afetado, fiquei mesmo perturbado ao ver a dimensão que a confusão tomou em questão de dias… Com essa sua lição de bom senso nesse artigo espero que demore para ocorrer novamente.

  15. Pitonisa! Tudo de bom!

    Reconhecer e agradecer quem só faz me ajudar, nesse caso não é ser legal, é ser justo.

    E justiça seja feita:

    É você!!!

    Beijo!

  16. Olá! Cheguei aqui por uma pesquisa do Google. Acabei de fazer um blog e estou adorando as dicas para blogueiros de primeira viagem. Gostei muito do texto e das fotos. Continue assim!

  17. Na verdade uma coisa que muitos não intendem é que a blogosfera é como na sociedade, humildade e camaradismo fazem parte.
    Bom senso eu concordo que é a única maneira de se sair bem nos conflitos…

  18. Boas dicas!!Pra uma pessoa como eu q esta começando,elas são muito valiosas!
    Brigadão!!
    bju =P

  19. preciso reler isso em casa – no trampo não tá abrindo as fotos, e como o meu xará disse que foi muito bem feita a integração das fotos no artigo eu fiquei curioso rs…
    masj á deixo meus elogios ao texto – muito bom, como sempre! Queria ter ligo algo assim anos atrás, de preferência quando eu tava na 4ª seríe e era um brigão rs…

    beijos Nosph!

  20. e eu, de novo esqueci de cadastrar pra receber por email os comentários =x

  21. Olá Nospheratt,
    Por defender a campanha citando um episódio de alguém que plagiou um template criado por mim o Carlos fez um post sobre meus blogs. O print screen deste post foi mostrado expondo meus blogs como se estivessem envolvidos com a confusão! Me envolvi sim, mas com a causa. Fiquei super chateada, nem consegui criar o template que quando liguei o computador estava com a idéia de criá-lo. No momento não tomei nenhuma atitude, mas quis fazer alguma coisa, mais tarde depois de pensar muito fiz um comentário no post que continha a imagem pedindo que a autora tirasse e que eu já não estava mais vinculada à campanha. Ela tirou e ficou tudo bem. Que alívio!
    Suas dicas são de muito bom senso e me mostraram que a forma como agi foi a melhor possível.
    Obrigada!

  22. Muito interessante o assunto tratado na sua postagem. Eu também penso da mesma forma. Devemos tratar desses problemas com cabeça fria. Embora nem sempre é possível evitar “arrebentar a sapucaia” algumas vezes.

    Eu mesma tenho me estressado algumas vezes no meu site e com a grande panela chamada blogosfera. Mas enfim, estamos aí pra isso. Escolhi ser uma pessoa de opinião e tenho que pagar pelas consequências.

    Um abraço! Seu site está de parabéns!

  23. Nospheratt

    Thiago: Com certeza, bom senso é fundamental!

    Evandro: Tomara! Infelizmente, duvido muito… 🙁

    Tico: ^^ Beijo, amigo!

    Camila: Obrigada! Continuarei, prometo! Volte sempre, viu? És muito bem vinda. 🙂

    Daniel: Verdade, o pessoal parece que esquece que por trás das letras e da tela existem pessoas. A blogosfera é só outro espaço onde as pessoas convivem.

    Monique: Obrigada, e de nada! Volte sempre! 🙂

    Johnny C: Ahahahahaha Mesmo que tivesse lido, duvido que tivesse dado bola… crianças não costumam escutar conselhos. 😛

    Áurea: Pois é. “Pense primeiro e aja depois” é o melhor método de ação, sempre. Me alegra que você tenha se saído bem dessa! Não tem o que agradecer! 🙂

    Roberta: É, nem sempre é possível. O caso é, que existem diversas formas de “arrebentar”, né? Melhor escolher sempre o jeito que não vá nos prejudicar, por um momento de irreflexão.

    Muito obrigada! 🙂

  24. nossa, eu realmente espero que vc esteja se referindo ao episódio de “ser brigão na 4a série”!!! =p

  25. Nospheratt

    É claro que eu estava me referindo a isso. 😉

  26. Nospheratt!
    Que beleza de texto!
    Eu também era amiga do Carlos, do extinto Leia-me. Me estressei muito com o que houve.Sou descendente de italianos…sabe como é…esquentadíssima!Depois de uns dois ou três dias, parei, respirei fundo e me lembrei que eu não tinha nada a ver com aquilo e estava com a adrenalina a mil à toa.No próximo conflito(espero que não tenha), vou correr aqui para reler seu post.
    Abraços

  27. Juliana: Obrigada! Pois sim, a gente se estressa muito, né? Mas o melhor é não se estressar. Infelizmente, eu sei que vão haver outros conflitos (seja comigo, com você ou com outras pessoas) e realmente espero que este post sirva de algo, para alguém.

  28. Muito bom esta postagem e valeu um link no brseek.

  29. Gandhi

    Eu devia ter lido esse texto antes de ter decidido entrar em conflito com algumas pessoas da lista há algum tempo atrás. Essa idéia de dar um tempo é mesmo o melhor a fazer, mas infelizmente todo mundo parece agir pela impulsividade, ainda mais na blogosfera. Deu no que deu.
    Brigas de ego dificilmente trazem benefícios para quem participa delas. São legítimas perdas de tempo. Tenho que aprender a ser menos impulsivo.

    Você é impulsiva, Nospheratt?

  30. Gandhi

    Ah, e adorei as imagens dos ursos! 😀

  31. Caio Lacerda

    Hoje vou deixar um comentário!
    Tenho seu blog nos meus favoritos,mas…o problema é que não tenho só uma página,não.Tenho um montão delas add,hehe.Putz!Até me espantei.Mas é que é uma sobre cada assunto,claro.Conheci aqui e fui lendo as dicas e toques sobre Html e outras coisinhas e coisonas mais.Meu blog parece até um Frankenstein,hehe.Tem tanta coluna que é inacreditável!Pior que tá faltando widgets pra preencher as colunas,hehe.
    Ainda naõ estou pronto pra começar a divulgá-lo.Me falta tempo e coragem,hehe.Mas ele tá bem legal.
    Valeu por tudo.

    Um beijo na bochecha

  32. Nossa, excelente este post. Vai ser difícil achar algo melhor sobre o assunto em toda blogsfera. A ilustração para o texto também, está nota 10 com louvor, na minha humilde opinião. 🙂

    Abraços.

  33. Já tive um caso de conflito nos meus blogs sim. Por bobagem no máximo. No início parti pra cima, dizendo que era ridiculo a atitude do sujeito, depois parei pra pensar e não respondi mais as ofensas. Vc tá é certa.

    Valeu!

  34. Olá,maravilha. Ótimo texto vc postou aqui pra nós. Gostei das dicas. Muito bem explicadas e ótimas de serem seguidas.

    Espero que muitas pessoas leiam o texto, mais de uma vez, pra ver se pára de uma vez por todas essa intrigas. Affff. Não sei porque perderem tempo em responderem a ofensas e provocações.

    Abraço,

    Lena

  35. O texto que você postou, nos faz refletir sobre como caminhar na vida deixando um rastro de paz.

    Um abraço.

    Nelson

  36. Nospheratt,
    cheguei aquí via diHITT (indicação de Sarita) e não podia deixar de comentar as dicas, que achei super apropriadas. A gestão de conflitos é tão complexa, exige bom senso (como tudo na vida e vários comentários anteriores já ressaltaram), sangue frio, cabeça feita e técnica, esta que Você própria oferece aquí, com estes passos.
    Lido com Clientes diariamente, internos -os colaboradores- e os externos -os patrões- no Varejo, e é uma sucessão de situações potencialmente explosivas, mas que procuramos desarmar antes de explodirem. Destas habilidades depede a excelência que buscamos em nosso atendimento.
    Pode ser mais importante do que isto?
    Abraço, Edu

  37. Como diria Gandhi “Se valesse à lei olho por olho, dente por dente… Viveríamos num mundo de cegos e desdentados!” E pra superar o conflito a chave é a paciência, gastar energia para um conflito que não condiz com sua realidade é o mesmo que mergulhar na merda… É inútil a não ser que seja para transformar merda em adubo… E nesse caso é dar pano pra manga para que você passe de colhedor a semeador! E semear conflito é construir guerra e guerras sempre se tornam pessoais! E o que se torna pessoal toma conta de nossa vida… No final você leva o problema para casa… E você acabou de ser contaminado por “MEME” pernicioso! hehehe o meme é uma boa… Mas o que ele carrega que é o problema!

    Paz no coração e Luz na razão.

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén|Social Icons by Freepik