© Blosque.com. Todos os direitos Reservados.
A cópia e reprodução não-autorizada deste texto está expressamente proibida.
Plágio é CRIME!

Mulher por nascimento e vocação, irônica por diversão e hobby, brasileira inveterada, filósofa nas horas mais impróprias, blogueira de profissão, escritora e poeta pela pura necessidade de expressar seus oceanos interiores.

20 responses to “Quais São As Coisas Que Importam?”

  1. Geraldo

    Olá Nospheratt,

    Sabe o que me apaixona? é saber que alguem pode pegar meus rabiscos e ler, depois tirar algo útil disto (sei disto porque tenho dois leitores no meu blog do RS kkkkkkk)

    Mas talvez também seja uma forma de expressão, uma maneira de colocar letras e números fora, antes que explodam dentro da minha cabeça….

    E vou lá despacito para minha pangaré virtual “xingar” muito no blog que ninguém le (ou apenas dois leem)

    Abraço

  2. Julia

    Minha paixão é simples: é saber que o que eu estou escrevendo traz informação não só para o meu leitor mas principalmente para mim. Quando eu escrevo, é como se eu estivesse aprendendo cada vez mais.

    Já escrevi sobre o que eu achava que deveria escrever e foi um fracasso. Hoje só escrevo sobre o que eu quero escrever e que vai ser útil para o meu leitor. Você tem toda razão, escrever só para encher linguiça não é útil.

    Tenho certeza que você vai se redescobrir! Beijos.

  3. Ronaud

    Oi Nospheratt, tudo bem? Tentando responder as suas perguntas:

    “Está escrevendo sobre o que quer escrever?”
    Sim

    “Sabe quais são as coisas importantes para você?”
    Eu vejo que nossa sociedade contemporânea segue avançadíssima no segmento tecnológico, e se arrasta atrasadíssima no segmento de auto-conhecimento. Vejo as pessoas precisando encarecidamente de orientação para saber se virar na vida, nos relacionamentos, consigo mesmas. E essa orientação até pode ser encontrada em religiões, em terapias, etc mas a internet se mostra um ótimo meio de compartilhá-la. Eu resumiria essa orientação como SABEDORIA e é sobre isso que procuro escrever, não como alguém metido a saber das coisas mas como alguém que também está aprendendo.

    Comecei a “escrever” em 2008 e muito que aprendi sobre blogs foi através de seus artigos. Sempre dou um pulinho aqui pra ver o que vc traz de novo. É claro que já escrevi muitas bobagens, mas acho que nesses 4 anos surgiram alguns textos bons.

    “O que lhe apaixona?”
    Enfim, escrever sobre essa sabedoria prática para se viver melhor se tornou minha paixão. Nunca tive problemas sérios de falta de inspiração. Ao contrário, os temas surgem na minha mente e ficam martelando e martelando até eu parar e escrever, e sair aliviado rs. É claro que ao falar sobre sabedoria acabamos falando sobre temas que não são levados a sério pela blogosfera cética, como espiritualidade, fé, crenças, amor, relacionamentos, etc. Mas particularmente, prefiro mil vezes escrever sobre esses temas tão eternos quanto o espírito humano, do que escrever sobre o último gadget lançado, que daqui a pouco estará ultrapassado.

    Enfim, me estendi bastante, mas não resisti às suas perguntas 🙂

    Espero que você não seja mais uma blogueira da “velha guarda” a parar. Tenho certeza que uma pessoa inteligente como você tem muito a dizer.
    Um abraço 🙂

  4. Falando sozinha e com o mundo | Sturm und Drang!

    […] momento em que escrevo, vejo um questionamento feito pela amiga @Nospheratt, em seu post  ” Quais são as coisas que importam?“, que me fez parar para pensar se venho escrevendo sobre o que quero realmente escrever  ou […]

  5. Nestor

    Escreve sobre como fazer do ambiente de trabalho um lugar mais seguro. Tenho ajudado muita gente com isso.
    É bom saber que mais de 2000 pessoas leem o que escrevo diariamente. Muita gente sem rumo encontra o rumo nas páginas do meu blog, e assim aprendo e ensino ao mesmo tempo. É uma troca vantajosa para ambos.

    Abraços.

  6. Telma

    Eu sou apaixonada por um assunto que não vai interessar para a linha do seu site, portanto não poderá ajudá-la em nada, ou melhor, talvez seja útil sim. Sou apaixonada por artes e artesanatos, e é isso que eu faço quando não estou escrevendo. Na verdade eu viajo nas artes quando a minha cabeça está muito acelerada ou mesmo sem idéias para escrever. Passo algumas horas ou até dias como se estivesse num planeta particular. Lá só estou eu e minhas mãos fazendo algum objeto, em geral tapetes de tear, mas cada vez é uma modalidade artesanal que me salva. Fico literalmente “tomada” pelo ato de criar. Talvez você não acredite nessa possibilidade, talvez ignore minha sugestão, talvez não tenha descoberto ainda alguma habilidade em si mesma, mas se quiser tentar, eu posso dizer que clareia os salões mentais e idéias começam a fluir… Pode até parecer propaganda (e é mesmo), mas dê uma olhada no meu blog e veja a aba “aulas”, lá é possível aprender o abc do tear manual. Quem sabe você não acaba gostando? Depois diga-me o que achou… ou não. Beijos.

  7. Sharon

    Nosph!

    Estou numa fase inspirada, quero escrever sobre tudo!!! Minha imaginação está colaborando até demais, meu posts tem saído imensos…

    Mas acho que você não precisa se preocupar com a utilidade imediata dos seus posts, porque eles podem não ser úteis imediatamente para alguém, mas daqui um tempinho alguém passa e descobre algo que vá fazer diferença pra ele…

    E já que você está procurando coisas para ajudar os outros… eu preciso diminuir meu tempo de internet, separar o joio do trigo… leio os amigos queridos, leio só o que é relevante para o blog, o que que eu leio? Eu não sei escolher leituras!

    Abração! Sucesso na retomada do blog!

  8. Cláudia

    Eu não acho que você (ou qualquer pessoa) deva escrever o que acha que deve escrever.

    O racional não combina com o espontâneo. A coisa mais legal é se deparar com um post “instantâneo”, aquele em que a pessoa se inspirou na hora, foi lá e escreveu.

    Não estou dizendo que a gente deva escrever qualquer coisa que dê na telha e publicar no blog. Acredito numa forma de criatividade sustentável (sem querer “clichezar”, mas já clichezando!), onde a inspiração flui naturalmente através das experiências diárias e você não precisa fritar os miolos para pensar sobre o que escrever, você simplesmente senta lá e escreve, porque é natural.

    Como eu costumo dizer, o Poder Criativo é natural, livre, fluídico, simples e rápido!
    Se não for assim, não é criatividade, é racionalidade.

    Tudibom pra você!

  9. Webston Moura

    Pois é, Nospheratt! Há momentos em bate um cansaço, dá um branco e aí o jeito é tomar um fôlego e reavaliar as coisas. Gosto dos teus toques nesses posts curtos e sábios!

    Abraços!

  10. Linnie

    Olá Nospheratt, tudo bem? Espero que sim! :3

    Estou desde o dia quatro enrolando com esse comentário, mas não estava sabendo como me expressar. É o meu primeiro comentário aqui, queria fazer algo legalzinho, mas detesto escrever/digitar.

    Conheci seu blog em uma entrevista que você deu para um outro blog, já faz um tempo, mas eu só vi isso ha um/dois meses atras. Quando entrei no blog, creio eu que fiquei umas quatro horas seguidas aqui. Lendo. Lendo muito.

    Embora não tenha um blog e a mínima intenção de criar um, eu sigo vários. Muitos mesmo. Me identificava com uma postagem ou outra, mas nunca tinha acontecido de me identificar tanto com uma autora com foi com você.

    A primeira postagem que li foi a “Comece”, aquele texto foi um choque pra mim. Eu sou do tipo que vive no eterno comodismo e no “coitadismo”, ler aquilo mudou realmente o meu jeito de pensar sobre as coisas.

    Eu vou tentar não enrolar, mas é sou enrolona mesmo então vai ser difícil. Haha. O que eu li aqui, o que eu aprendi com os seus textos, quero levar para o resto da minha vida. Não sei te dizer o quanto eu mudei depois que li algumas dezenas de seus posts. Mas talvez meus amigos consigam mostrar, já que venho recebendo vários elogios recentemente. Até minha família passou a confiar mais em mim.

    Sabe, essa fase dos 18 anos é meio aterrorizante. Terminar ensino médio, vestibular, faculdade, sair ou não de casa, arranjar um trabalho. Isso me assustou muito e eu entrei num desespero interior terrível. Eu simplesmente não sabia mais quem eu era ou o que eu queria, que rumo eu deveria seguir com a minha vida. Foram meses difíceis. Mas ai encontrei o seu blog.

    Cada um interpreta um texto como acha que deve, eu aprendi com você não deixar absolutamente NADA que eu possa fazer hoje para amanhã. Eu sempre ouvia isso dos meus professores, mas nenhum deles me tocou tanto como você. Eu senti na minha alma que minhas escolhas estavam sendo erradas. Mas ai eu vi que errar faz parte da vida, que eu deveria me perdoar e procurar me entender mais. Precisava de organização, calma, paciência e amor. Sempre pensei que as pessoas não gostavam de mim e bancava a adolescente rebelde, só que ai percebi que eu não deixava as pessoas se aproximarem de mim com esse orgulho estúpido.

    Eu estava sem rumo, até acessar o Blosque pela primeira vez. Mudei muito nesses últimos dois meses, descobri que a vida só se complica se você deixar e se desesperar. Será que eu “amadureci”? Eu não sei, só sei que não sou a mesma de dois meses atras. Eu baixei o “Desafio 21 dias” e adaptei ele pra minha vida (nem queira saber como consegui isso), foi engraçado fazer isso. Sair do meu comodismo, combater a preguiça, fazer aquilo que eu sempre deixava pro demônio do amanhã comer. Eu mudei. Mas não mudei por mudar, minha alma mudou.

    Só estou dizendo isso, porque eu, mais do que qualquer outra pessoa por aqui, esperou você voltar a postar. Foram muitos “F5”, um dos primeiros sites que entrava quando ligava o computador, antes de sair dava uma última conferida. Mas não conseguia comentar nada de útil, ai você fez essa postagem. Nospheratt, eu estava perdida no meu mundinho adolescente, agora estou vendo minha vida trilhar um caminho incrível por eu ter me inspirado nos seus textos. Foi difícil aceitar o fato de que eu era a errada, só uma criancinha minada, mas aceitei lendo o seu blog. Não sei o que você pretende fazer a partir daqui, que rumo vai dar ao Blosque, só quero que você saiba que esse blog foi e é extremamente útil para mim. Eu passei por essas faze de redescobertas e estou gostando daquilo que escolhi e estou amando as minhas mudanças. E foi tudo por eu ter encontrado força nos seus textos.

    Independente do rumo que o Blosque irá tomar, eu vou continuar aqui, lendo e te seguindo. E tenho certeza que você irá se redescobrir e virá com coisas mais grandiosas do que costuma fazer, algo único e firme. Afinal, você é uma mulher de opinião forte.

    Seus textos mudaram COMPLETAMENTE meu modo de ver o mundo e o meu futuro. Queria te falar isso, mostrar que seu trabalho transforma aqueles que querem ser transformados. Obrigada por todo seu trabalho até hoje, acredite, eu li várias e várias postagens, foram muitas mesmo, e valeu apena cada minuto aqui.

    Estarei esperando ansiosamente pela nova fase do Blosque, confio em você e na sua criatividade. Beijos e fique em paz! ♥

  11. Claudia

    Gente, estou acompanhando os comentários e realmente fiquei emocionada com o depoimento da Linne. Tanto que nao resisti e estou que nem uma doida aqui no restaurante almoçando e comentando aqui, rsrs… Muito legal isso tudo!