Blogando com Alma... Ainda.

Blog Brand – Elementos da Marca – Histórias

Bem, esta deve ser a série de posts mais longa da história – a série sobre Blog Brand começou em Abril de 2007, e ainda não terminou. Uma vergonha, né?

Pois eu resolvi acabar com isso. No momento em que este post está sendo publicado, os outros 2 que faltam já estão prontos e marcados para publicação nos próximos dias. 🙂

Enfim. Hoje vamos ver o 6º elemento necessário para definir sua marca: as Histórias.

Blog Brand - Elementos da Marca - Histórias

– Quais são as histórias que você conta, explicando como a marca se tornou o que é, sobre quê ela trata e que tipo de marca ela é?

Todas as grandes marcas contam histórias sobre si mesmas. Sobre seus fundadores, sobre como as grandes idéias surgiram, sobre como enormes obstáculos foram superados. As histórias podem ser surpreendentes, engraçadas, comovedoras, ou simples anedotas.

Exemplos? A Coca-cola nasceu como um xarope de farmacêutico, lembra? Os irmãos Mc Donald venderam sua parte dos restaurantes Mc Donald’s para Ray Kroc, quem veio a ser milionário por causa disso. Existem muitas outras; e se você prestar atenção nelas, verá que essas histórias dizem muito sobre a marca – quais são seus valores, seus objetivos, como ela funciona.

Porquê as grandes marcas contam histórias?

Blog Brand - Elementos da Marca - HistóriasNão é por nostalgia, e na maioria dos casos, nem sequer por orgulho de seu passado.

Contar histórias é a melhor forma de despertar interesse e empatia em um ser humano. Todo mundo prefere uma boa história, do que um amontoado de fatos e dados.

As histórias permitem que nós nos relacionemos com elas emocionalmente – e as emoções são a base de tudo. Para que queiramos comprar um produto, é necessário que haja uma emoção envolvida. Depois que a emoção foi despertada, nós procuramos justificativas racionais para efetuar a compra.

A compra, a fidelidade à uma marca, a preferência por uma marca em lugar de outra, são coisas que estão baseadas nas emoções. Não basta que o produto seja bom (componente racional) – é preciso que ele nos desperte alguma emoção, mesmo que não sejamos conscientes disso. Uma boa história é capaz de fazer isso com perfeição.

Quais são as suas histórias?

Blog Brand - Elementos da Marca - HistóriasQue histórias você conta sobre você, seu blog, sua vida blogueira? Que histórias fazem parte da sua “mitologia” blogueira?

Se você lê o Contraditorium, deve lembrar disto: “Eu lembro que uma vez sentei no ônibus para perceber ao meu lado um sujeito lendo um de meus livros.“.

Essa história faz parte do “personagem” do Cardoso – recluso, tímido, etc, etc.

Também temos as histórias do Interney, e de como ele chegou a ser o potentado da blogosfera 😛 com o blog e o shopping. A Auto Entrevista dele é uma forma criativa e engraçada de contar essas histórias, que dizem tudo sobre a “marca” Interney.

E por aí vai. Uma coisa importante: as “histórias da marca” não são simplesmente histórias pessoais, anedotas sobre seu passado. São histórias que tem a ver com o que sua marca representa – elas relacionam todos os outros elementos da marca, de forma coerente e interessante.

Blog Brand - Elementos da Marca - HistóriasAs histórias comunicam a essência da marca, despertam emoções no público e criam conexões sutis com esse público.

Por último, as histórias bem contadas, e criativamente integradas na vida do seu blog, ajudam a torná-lo único e fixá-lo na memória dos leitores e visitantes.

Então, quais são suas histórias? Como você as conta?

No próximo – e penúltimo post – veremos os Benefícios Emocionais da marca.

Nospheratt, pensando na vida

Nospheratt

Quando eu cheguei (2006 - primeira era jurássica da Efigênia), isso aqui tudo ainda era mato.

Previous

A Banalização das Coisas

Next

Blog Brand – Elementos da Marca – Benefícios Emocionais

3 Comments

  1. Dia 23 foi aniversário de 1 ano do Infoblog… na minha cabeça um post todo completo, contando como surgiu a idéia, quem mais me deu apoio, etc e tal…

    Mas e tempo para sentar e escrever? BUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

  2. Ontem li um artigo, falando de como o jornalismo vem se apropriando de uma linguagem “bloguística”, pessoal.

    Censura nos blogs

  3. Jonny: Meu querido, faça uma coisa: escreva esse post. Não tem tempo? escreva-o aos poucos. Vai ficar melhor ainda. Mas escreva.

    Aliás, estou planejando uns posts para “blogueiros sem tempo”. 😉

    Johnny Rox: Pois é, isso prova o que eu disse (e que é uma coisa sabida). Histórias e anédotas pessoais ajudam, e muito. 🙂

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén|Social Icons by Freepik