© Blosque.com. Todos os direitos Reservados.
A cópia e reprodução não-autorizada deste texto está expressamente proibida.
Plágio é CRIME!

Mulher por nascimento e vocação, irônica por diversão e hobby, brasileira inveterada, filósofa nas horas mais impróprias, blogueira de profissão, escritora e poeta pela pura necessidade de expressar seus oceanos interiores.

17 responses to “Era Uma Vez Uma Cópia Imaginária”

  1. Inácio Rolim

    Hi, Nospheratt…

    Imagine – só imagine! – Mestra, que alguém postou o seguinte comentário em seu blog:

    1. Olá eu gosto MUITO dos seus textos! #Fato

    2. Muito do que sei (Sei?) sobre a blogosfera, aprendi com posts de seu blog. (Bem como de outros, também muito bons, como o Dicas Blogger e o [Ferramentas Blog], dos também Mestre(a)s Juliana Sardinha e Marcos Lemos.) Copiei-os todos, em minha memória e em meus favoritos.

    3. (…) E nem tive problemas. Meus browsers os suportaram muito bem! Não os retiro de lá, #nemfudendo!

    4. Mesmo que alguém não queira, vou visitar seu blog, sempre!

    Mas… Como este comment está muito chato, vou parar por aqui, mas não sem antes, deixar bem claro, só uma coisinha:

    ADOREI ESTE POST! Principalmente a forma sarcástica como você colocou a sua visão deste inferno que é o tal do CTRL C + CTRL V.

    Que a natureza te abençoe e conspire, sempre, a seu favor, para que eu possa continuar me deleitando com seus artigos, sempre tão interessantes!

    Este é um comentário imaginário. Qualquer semelhança com o conteúdo deste pos terá sido MERA PROPOSITALIDADE!

    []’s @inaciorolim

  2. Angelica

    E o bom de tudo isso ser sua imaginação, é que quando, hipoteticamente esse ladrão de posts alheios vir essa sua “alucinação” nem poderá sentir- se ofendido né não ??
    Ótima sua postura e ainda educada… ainda tenho muito que aprender, rrrsrs
    Ah, e tenho colocado muitas das suas dicas em prática. (E, ufa… acho que meu menino está no caminho certo… caminhando.)
    Bjus 1000

  3. @fbjr

    EU NÃO SABIA QUE A “LEI DE BLOGS” TINHA MUDADO, GENTE!!111!

    😉

  4. Lu Monte

    Ainda bem que foi só faz-de-conta, né? 😉

  5. Arthurius Maximus

    Infelizmente, esse caso “fictício” é muito mais real do que queiramos admitir. O respeito ao escritor ainda é algo que não passa pela cabeça de muita gente por aí.

  6. Claudinha

    Olá! Imaginação? Puxa…
    Eu tenho vivido esta situação e encontrei algumas pessoas que se retrataram, mas a maioria nem se toca. Denuncio, reclamo. O meu campeão de cópias é meu perfil, tem até uma poetisa ,c om livros publicados que se utiliza dele e nem tem vergonha de ter os meus recados no blog reclamando. Já denunciei e tentei de tudo, mas as pessoas insistem. Enfim, abaixo o plágio, mesmo que imaginário.
    Um beijo!

  7. Mi

    ¿Holla que tal?

    Cara Nosferrat, debuto hoje por aqui (sim, primeira vez e inesquecível!!!).
    Estava procurando hacks sobre “Ler Mais”, e o google me contou que você tinha o que eu precisava.
    Lido, compreendido, testado e funcionando, os créditos, todos para você, agradeço muitíssimo.
    Bem, aí como apreciei o conteúdo, todo ele, favoritei bonitinho para “Ler você sempre”.
    Lendo este último Post, recordei-me de quando eu ainda utilizava um Flog para postar meus textos e poesias. Recentemente lendo sobre blogs, descobri o site #copyscape.com, e tamanha foi minha surpresa de encontrar meus textos em vários sites pela rede, ainda não sei explicar minha reação, só sei que “nasceram de mim” e foram todos adotados sem meu consentimento, enfim, será que ninguém sabe que não eram órfãos?
    Sobre seu hipotético fato:
    “Hipoteticamente” Crimes Informáticos, podem ser julgados pela Lei brasileira (Código Penal Brasileiro). Hipoteticamente COPIAR qualquer base de dados sem prévia autorização do autor é entendido como pirataria de acordo com a Lei 9.610/98. Segundo o Art. 87 da mesma lei, “o titular do direito patrimonial sobre uma base de dados terá o direito exclusivo, a respeito da forma de expressão da estrutura da referida base”, com pena de 2 meses a 4 anos. Hipoteticamente a pessoa que “furtou” informações, que apoderou-se indevidamente dos devidos textos, não deve pensar que isto é grave, nem que existe IP, nem que há uma banco de dados, e provas (sobretudo datadas) “de algum computador/parturiente”.
    Resumindo: você fez, “toma que o filho é seu”…Abençoados sejam nossos DNA’s internéticos…Amém…

    Sua mais nova leitora

    Mi

  8. Renata

    Sensacional a sua resposta imaginária!!! Será que o ladrão imaginério vai conseguir ter imaginação para entender…? Até mais…

  9. Kamylla

    haushausahsuahsua adorei o post…
    aliás,eu adoro o blog…
    bjkixxxxxxxxxx

  10. Roberto

    A melhor maneira de combater o plágio na blogosfera e escrever textos ruins. Faça como eu! 😉

  11. D. R. CECCON

    Realmente a blogosfera é uma selva virtual, eu que acabei literalmente de chegar, estou impressionado com complexibilidade das relações, e como os problemas da realidade se reproduzem aqui também. Levarei o Blosque como uma luz, para evitar percalços e tropeços. Admirável Mundo Novo dos blogs. Obrigado cara escritora.

  12. Bruno Grunig

    É, Nospheratt, você é uma ditadora mesmo. Podia simplesmente disponibilizar os posts em formato adequado ao usuário, com link bacana pra download. Evidentemente, já com a expressa, escrita e assinada autorização não só para reprodução, mas já com espaço em branco para preenchimento do nome do (novo) autor.

    Tudo evidentemente separado por categoria, título, palavra-chave e o escambau.

    Aí, basta uma inocente criatura imaginária igual à mencionada recolher o material e abrir um novo blog, talvez chamado “blosgue”, tudo dentro da “nova lei dos blogs”.

    Ah, sim, sirva também, com o prato feito, os links, não vá esquecer.

    Há umas três semanas achei um post meu copiado, fiz um comentário no outro blog (sem mencionar a lei dos blogs) e a pessoa retirou o post e pediu desculpas, dizendo que foi ingenuidade. Viva eu! Já estão me copiando…

  13. Zailda Coirano

    Tenho vários blogs aqui no Blogger e no WordPress e fico muito “p” da vida quando alguém copia algo que escrevi ou alguma apostila que criei. Engraçado é que alguns copiam e quando a gente reclama ainda acham ruim, dizem que “sempre fizeram isso e nunca ninguém reclamou”. Apesar de duvidar da veracidade do argumento, também não seria justificativa para continuar copiando. Se ninguém reclamou (duvi-d-ó-dó!) então já era tempo, não é?
    Mas ainda bem que estamos no terreno da ficção, porque tenho certeza que essas coisas não acontecem no Brasil…(???)

  14. Links para sair do ócio LIV | Me Tire Deste Ócio!

    […] sobre plágio na internet (Boa […]

  15. Eduardo Miguel

    Olá

    Vejos 3 similaridades entre seu post e minha vida

    1)adoro inventar brigas imaginárias,hahahah

    2)algo muito parecido ja aconteceu comigo

    3)também fiquei indignado quando aconteceu

    Não foi exatamente com blogs, e sim com uma marca de roupas alternativas que alimento e cuido com carinho há uns 5 anos. Mas depois de ver algumas das minhas melhores criações copiadas por outros espertalhões e me revoltar profundamente, cheguei a um ponto em que prefiro abordar isso de outra forma.

    Tomo a cópia como um elogio. Como uma referência a um trabalho bem feito e bem estruturado. Fico pensando que a pessoa teve todo um universo disponível pra copiar o que quisesse e escolheu copiar a mim, à minha criação da qual tanto me orgulho.

    Faz sentido não? Muitas coisas mudaram pra mim depois de começar a ver por esse outro prisma. Hoje de certa maneira uso as cópias como uma medida do meu sucesso, e também como uma medida da incompetência assumida dos que copiam.

    Quem tem criatividade para criar está sempre a frente de quem copia, jamais será alcançado. Com esse pelotão inferior não me indisponho mais, é com o pelotão dos que criam e revolucionam idéias e conceitos que estou lutando para conquistar meu espaço.

    Think abou it

    Parabéns pelo blog, sempre acompanho e finalmente hoje me inspirei de deixar um comentário

    Grande abr

  16. Mário Machado da Silva Filho

    Fico verdadeiramente P… da vida quando roubam meus textos. Malditos folgados!

    Abs,

  17. Atmos Maciel

    Mesmo sendo um fato fictício, isso realmente acontece na vida real.
    Já vi em vários blogs e a reação do autor é sempre a mesma: frustração!
    Bom texto.

    P.S: 11 tópicos de resposta. Interessante…