© Blosque.com. Todos os direitos Reservados.
A cópia e reprodução não-autorizada deste texto está expressamente proibida.
Plágio é CRIME!

Mulher por nascimento e vocação, irônica por diversão e hobby, brasileira inveterada, filósofa nas horas mais impróprias, blogueira de profissão, escritora e poeta pela pura necessidade de expressar seus oceanos interiores.

10 responses to “Deixe Morrer o Que Deve Morrer”

  1. Aproveite o Inverno Para Fazer Seu Blog Crescer

    […] 1 – O próximo post é este: Deixe Morrer O Que Deve Morrer. […]

  2. Ana Karenina

    olá

    interessante sua análise, essa resistência em mudar e deixar morrer as coisas desncessárias é algo bem comum, as pessoas acham que quanto mais coisa tiver no blog, mais interessante ele é, entretanto, não lembram que tudo pesa, tudo gera uma poluição visual e muitas vezes pode confundir um leitor que não sabe exatamente o que é cada elemento e para que serve. Observo que muitos blogs são feitos para leitores blogueiros ou para quem entende de blogs, quando na verdade, um blog bom deveria buscar um blog mais simples onde qualquer pessoa de qualquer nível pudesse acompanhar.

    Eu com minha língua de trapo fiz até uma sugestão para uma blogueira: “o projeto é bom, mas ainda acho que deverias mudar de layout” prontamente ela alegou que o layout era outra menina que não queria mudar, então observo que essa resistência só tende a prejudicar os blogueiros visto que não adianta um projeto ser bom se o layout não favorece, mas pouca gente ainda tem a humildade de reconhecer que precisa mudar ou melhorar, é pior pro blog, pro blogueiro e pra quem acompanha aquele blog, mas fazer o que né? só lamentar…

    Antes mesmo de ler este post desde Fevereiro deste ano que já venho podando meu blog, pois conforme eu vou adquirindo mais informação, conhecimento e consciência, mais modificações para melhor, creio eu, estou fazendo. Meu blog ficou mais bonito, mais leve, melhorei mais os conteúdos e deixei ele mais interativo, isso anda despertando a atenção de alguns leitores. Ainda não está plenamente como eu gostaria, mas já melhorou bastante e está me agradando mais que antes.

    Quanto ao Luan ele é realmente exagerado, se todo blog fosse “ruim” como ele qualifica o dele a blogosfera estaria muito bem servida de bons blogs, mas ele nunca se convence mesmo que muitos amigos digam que ele é bom assim como o blog dele.

    Quanto ao José Márcio, creio que ele irá adorar essa citação feita aqui no seu blog, devido a profunda admiração que ele tem por você. ele também é exagerado e nunca acha que os textos dele são bons, teimoso como o Luan. rs

    Enfim, creio que falta a muitos blogueiros essa consciência de que não somos perfeitos e que podemos sempre aprender uns com os outros, errar pode acontecer, mas saber do erro e continuar não é nenhum pouco proveitoso nem saudável para um blog. Aceitar críticas construtivas e se aperfeiçoar a cada dia também faz parte da vida de todo e qualquer blogueiro.

    Perdão pelo comentário longo, me empolguei, rs

    Um abraço!

  3. Victor
  4. Rafael Avelino

    Sempre sou aberto a criticas e até sou meio neurótico e vivo trocando e excluindo algo do blog!hehe
    Vou seguir a dica de arrancar as folhas mortas…

    Abraços!

  5. @jmpsousa

    De fato eu já cometi um “bloguicídio”, alías um não, dois. Creio que o que leva um blogueiro a mudar completamente de rumo ou quem sabe radicalizar a ponto de cortar completamente a “árvore”. É quando “ela” não está mais atingindo o objetivo esperado ou não proporciona mais nenhum prazer ao blogueiro. Em alguns casos a poda resolve o problema, mas quando a “árvore” já agoniza no leito de morte, não adianta mais podar, pois apenas iremos adiar uma morte iminente.
    Não tenho nem palavras para agradecer a citação a minha pessoa. Sabe que sou fã de carteirinha desse espaço, e quase não consegui conter minha empolgação.
    Blosque: cada post um aula, cada aula um passinho pra frente. Espero que as demais pessoas saibam captar a grandeza de suas palavras…

  6. Arthurius Maximus

    Como sempre uma análise lúcida e cheia de toques necessários que não deve deixar de ser ditos. Tenho a mania de carregar um cachorro morto por aí (meu blog de culinária) e ainda o mantenho ativo na esperança de que “um dia” o ânimo volte e o empenho em promovê-lo como se deve e escrever como necessário apareça. Na verdade sei muito bem que tão cedo não haverá meios de fazer o que pretendia para que o blog fosse um sucesso e o que fica é mesmo a pena de dizer isso em voz alta…

    Um abraço.

  7. Sandra

    Amei está lição de vida.

  8. Mônica Banderas

    Lindo e muito interessante seu post. Serve para qualquer situação da vida. Amei!
    Um grande abraço e obrigada por escrever tão bem e alegrar a minha noite à procura de boas novidades.

  9. Mariana

    Hoje o Alessandro Martins mandou um feed com seu link e vim parar aqui – não conhecia. Isso foi lá pelas 2 da tarde e, bem… estou aqui até agora, quase 10 da noite rs. Seus textos são de uma lucidez rara, como disse o Arthurius. Este, particularmente, foi decisivo pros rumos do meu blog, que é bem novo, mas tinha excesso de galhos logo na largada (foram podados hoje, depois de ler esse post). É a tal história do tiranossauro querer abraçar o mundo com aqueles bracicos….
    Então, muito obrigada. Eu sabia que tinha algo errado por lá, mas não conseguia ver que era excesso. Senti vontade de te dar um abraço de alívio rs pq tem tempo que isso pesa.
    Abração pra ti